segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Pequena Biografia de Alexandre de Gusmão..por profª Alcilene Rodrigues

Você sabia que:

Alexandre de Gusmão  foi um diplomata de nacionalidade portuguesa nascido no Brasil colônia, que representou Portugal em vários países, nomeadamente em Roma, onde chegou a ser convidado para a corte do Papa Inocêncio XIII. Notabilizou-se pelo seu papel crucial nas negociações do Tratado de Madrid, assinado em 1750, que definiu os limites entre os domínios coloniais portugueses e espanhóis na América do Sul, criando assim as bases do atual Brasil.

Em 1710 Alexandre muda-se para Lisboa para morar com Bartolomeu de Gusmão. Por meio dos contatos deste com a Corte portuguesa, Alexandre é escolhido em 1715 como secretário da Embaixada portuguesa, na corte de Luís XV, em Paris. Ali cursou Direito Civil na Sorbonne, convivendo com estudantes, na sua maioria pobres. Em 1719, Alexandre de Gusmão voltou a Portugal levando o diploma de Direito, conquistado com brilho.
Alexandre já adquirira um sólido conhecimento de história política e administrativa e em leis dos países europeus. Também entrara em contato com as personalidades do mundo oficial e com os tratados e acordos pelos quais as nações procuravam estabelecer seus direitos umas em relação às outras. 

Viveu durante o reinado de D. João V, do qual foi secretário  e Ministro das colonias de Além-Mar.
Tornou-se conhecido porque negociou com a Espanha o Tratado de Madri, em 1750, dispondo sobre os limites das possessões americanas.

O tratado foi admirável em vários aspectos. Determinou que sempre haveria paz entre as colônias americanas, mesmo quando as metrópoles estivessem em guerra. Abandonou as decisões tomadas arbitrariamente nas côrtes europeias por uma visão mais racional das fronteiras, marcadas pelos acidentes naturais do terreno e a posse efetiva da terra. O princípio romano de uti possidetis deixou de se referir à posse de direito, determinada por tratados, como até então tinha sido compreendido, para se fundamentar na posse de fato, na ocupação do território: as terras habitadas por portugueses eram portuguesas.
Entretanto o tratado logo fez inimigos: os jesuítas espanhóis, expulsos das Missões, e os comerciantes impedidos de contrabandear no Prata. Seus protestos encontraram um inesperado apoio no novo homem forte de Portugal: o Marquês de Pombal.

Alexandre de Gusmão prestou vários serviços ao Brasil, conseguindo a criação dos bispados de São Paulo, Minas Gerais e Pará e organizando a imigração entre Açores e os Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.


Busto de Alexandre de Gusmão no Senado Federal em Brasília.



Vida
Nascimento 1695
Santos, SP
Falecimento 31 de dezembro de 1753 (58 anos)
Lisboa, Portugal
Profissão Advogado e diplomata

Vinda da família real...por profª Alcilene Rodrigues

19ª aula
Mudança da Sede do Governo
1808 a 1821

A família real portuguesa veio para o Brasil, porque Napoleão Bonaparte, imperador da França, mandou invadir Portugal, por ter esse último país rompido o Bloqueio Continental, que determinava o fechamento dos portos da Europa ao comércio inglês. Portugal foi invadido por um exército comandado pelo general Junot.
O regente de Portugal, príncipe Dom João, sua família  e numerosa comitiva (60 navios e quase 15.000 pessoas) vieram para o Brasil. Parte dessa comitiva desembarcou no Rio de Janeiro e parte na Bahia, em 1808.
Dom João desembarcou na Bahia e, a conselho de José da Silva Lisboa, Visconde de Caiuru, decretou a abertura dos portos do Brasil à de navegação e ao comércio com todas as nações amigas, isto a 28 de janeiro de 1808. Começou aí a liberdade econômica do Brasil.
Depois Dom João seguiu para o Rio de Janeiro, sendo recebido com festas. O príncipe regente  transferiu a sede do governo, de Lisboa para o Rio de Janeiro.
Com a morte da rainha Dona Maria I, Dom João foi coroado rei, com título de Dom João VI em 1816.
Os fatos na política exterior foram: a declaração de guerra à França, a ocupação da Guiana Francesa e a ocupação do Uruguai (Província Cisplatina e antes Banda Oriental).
A 16 de dezembro de 1815, o Brasil foi elevado de colonia à categoria de reino unido ao de Portugal e Algarves e as capitanias passaram a ser províncias.
Com a vinda do rei, foram introduzidos os seguintes melhoramentos:
- criação do Supremo Conselho Militar;
-Fabrica de Pólvora;
-Academia de Medicina e Marinha;
-Imprensa Régia;
- Escola de Belas Artes;
- Arquivo Militar;
-Jardim Botânico;
- Banco do Brasil;
-Museu Nacional;
-Escola Naval, e etc.
O rei esteve aqui durante 13 anos. Em 1821 por causa de uma revolução, Dom João VI, partiu para Portugal, deixando aqui seu filho Dom Pedro.
Dom João VI disse a seu filho na hora da partida: " Pedro, se o Brasil se separar, antes seja para ti que me hás de respeitar, do que para alguns desses aventureiros".
A consequência mais importante da transmigração da família real foi a preparação da Independência.

                A fuga da família real de Portugal

                         A vinda da familia real ao Brasil
                          


D.João VI

Exercícios:
 Responda, complete, ou dê o que se pede:
1- Por que D. João veio para o Brasil?
2- Quem aconselhou D.João a abrir os portos às nações amigas?
3- Em que dia o Brasil passou à categoria de reino?
4- A quem D. João sucedeu no trono de Portugal?
5- Quem governava a França na época da invasão de Portugal e quem comandou essa invasão?
6- Que foi o Bloqueio Continental?
7- Qual a província que foi incorporada ao Brasil, logo que d.João aqui chegou?
8-Foi proveitosa a vinda de D.João?
9- Em que lugar D.João desembarcou?
10- Quantos anos d.João esteve aqui no Brasil?
11- Quais os fatos importantes na politica exterior?
12- No ano de..............................desembarcava na ..................., o príncipe regente...................e a..............
13-  A conselho do Visconde de.......................cujo nome era...................................................D.João assinou a carta- régia, abrindo os........................do Brasil  ao comércio as......................amigas.
14- Cite 5 melhoramentos havidos no brasil com a vinda do rei:
..........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
15- Dê os fatos relacionados com as datas:
28-01-1808-............................................................................................................
16-12-1815-............................................................................................................
1821-......................................................................................................................

16- A frase proferida por D.João ao seu filho D.Pedro, na hora da partida foi :....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................17- Com o falecimento de Dona.........................................................D.João subiu ao trono com o título de Dom...................................................................
18- O nome do uruguai quando anexado ao Brasil era...............................................................................
19- O imperador da França que mandou invadir Portugal chamava-se.........................................................
20- Sublinhe o certo:
O principal motivo da transmigração da família real portuguesa para o Brasil:
-loucura de D. Maria
-preparação da Independência.
-invasão de Portugal pelo exército francês
-guerra dos alfaiates

21- Numere de acordo com a ordem cronológica:
(............) Elevação do Brasil a reino.
(............) Morte de Tiradentes
(............)Abertura do portos brasileiros
(............) Partida de D. João VI para Portugal
(............) Insurreição Pernambucana.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Sociedade Moderna por profª Alcilene Rodrigues

1ª  aula- parte I
Quatro conceitos diferentes: sociedade, povo, nação e país, muitas vezes usados como sinônimos, apesar de terem sentidos parecidos, eles não significam a mesma coisa não.

Sociedade : é uma agrupamento de pessoas que vivem juntas num certo espaço geográfico e se relacionam de acordo com determinadas regras. Temos vários exemplos de sociedades: a sociedade humana, sociedade das abelhas, das formigas,etc. Em geografia, nosso interesse é voltado para a sociedade humana porque ela modifica muito a natureza e constrói o espaço geográfico muito depressa.
Existe uma diferença enorme entre a sociedade humana e a sociedade formada por outros seres vivos, estas não mudam. Exemplo a sociedade das abelhas possui uma organização de milhares ou até milhões de anos, formada pela rainha, operárias e zangões. A única mudança observada é a morte  e o nascimento sempre dentro da mesma organização, da mesma forma social.
Com os humanos, ao contrario, acontecem transformações intensas e variadas. Muda a maneira de vestir, de trabalhar, de comer, o modo de educar as crianças, se divertir,etc. Novas descobertas e invenções enriquecem os conhecimentos,  altera-se também os tipos de governo: alguns grupos humanos já tiveram imperadores, reis, rainhas, barões, condes, etc. Essa forma de organização da sociedade humana altera-se com os períodos de revoltas, revoluções, movimentos e guerras. Essas mudanças ou transformações ocorridas na sociedade humana chamamos de tempo histórico.
As organizações humanas apresentam varias diferenças, tanto de uma época para outra como nas varias regiões da Terra, ou seja a sociedade humana varia  no tempo e no espaço, por isso quando nos referimos a humanidade usamos a palavra sociedade em dois sentidos complementares: a sociedade humana em geral, que engloba toda humanidade  e a sociedade particular ou específica, que se refere a determinados grupos humanos, como por exemplo a sociedade indígenas dos ianomâmis, a sociedade grega da antiguidade, a sociedade brasileira do século XX, a sociedade mexicana, etc.


Povo: são grupos de pessoas que falam a mesma língua e possuem as mesmas tradições ( são determinados hábitos ou costumes transmitidos de uma geração para outra. Exemplo: vestimentas, canções, jogos e brincadeiras , receitas de comidas ou de bebidas, comemorações e festas, etc). Por exemplo o povo brasileiro, o povo americano, o povo judeu, o povo cigano, o povo chinês, etc
Um povo não precisa ter um território próprio necessariamente. Alguns povos como os ciganos deslocam-se constantemente pelo espaço geográfico, são povos nômades, não tem residencia fixa. Ao contrario do povo nômade é o povo sedentário que possui uma área fixa permanente. Alguns povos sedentários não possuem um território próprio, vivem em regiões dentro de um país que é formado por outro povo ou por outro povos, exemplo; os mongóis no norte e os tibetanos no sul da China. São povos que almejam ter um território próprio e independente, mas por enquanto vivem sob o domínio de outros povos.


Os ciganos são um povo porque possuem tradições em comum, mas eles não tem território próprio, portanto não constituem nação.
Quadro: As caravanas de Vicente Van Gogh



Nação: o termo nação é usado em dois sentidos, no primeiro mais geral, nação é o mesmo que povo ou seja, um conjunto de pessoas com língua e tradições comuns,  no segundo sentido nação é um povo com território, governo e leis próprias, ou seja significado igual ao de país.


Sede da ONU -Organização das Nações Unidas, em Nova York, Estados Unidos. A ONU é uma entidade em que as nações do mundo inteiro se reúnem para discutir problemas comuns. O conceito de nação usado pela ONU é o mesmo adotado no meu  site/blog : um povo com território e governo próprio.


País : também é chamado de Estado-nação, país é um povo que vive num território próprio, tendo um governo que representa. O Brasil, a França, a Itália, a China  e Portugal são exemplos de países ou Estados -nações. Existem povos que chamam a sí próprios de nações e almejam alcançar sua independência, é o caso como vimos dos mongóis , dos tibetanos, dos curdos e dos bascos entre outro povos. Eles podem vir a torna-se países ou Estados-nações, mas por enquanto, são povos dominados, que vivem num território sob controle de outros povos.

Os curdos que se espalham por trechos do Iraque, do Irã e da Turquia. Os curdos são a mais numerosa etnia (26 milhões) sem uma pátria própria. Falam a língua curda e são na sua maioria muçulmanos sunitas.



Sociedade Moderna ou Industrial: desde a segunda metade do século XVIII, ou seja há mais de dois séculos a grande maioria do seres humanos vive num tipo de sociedade bastante complexa: a sociedade moderna ou industrial, esse tipo de sociedade nasceu na Inglaterra, espalhou-se pela Europa e depois por todo o mundo. Baseia-se na atividade industrial, ou seja na produção em grandes quantidades , com uso de máquinas moderna e poderosas. Nos países mais ricos, a sociedade moderna é bem desenvolvida, nos países pobres ela também existe, mas não de maneira completa, pois não há uma intensa industrialização. Uma das características da sociedade moderna e que existe uma intensa divisão do trabalho.

                                         Polo industrial brasileiro.


Atividade:
Reproduza o quadro a seguir no caderno e preencha -o com base no texto acima:
Termo
Definição
Exemplos
Sociedade


Povo


Nação


País




Revolução de Filipe dos Santos por profª Alcilene Rodrigues

18ª aula
A revolta de Filipe dos Santos não teve caráter nativista e sim revolta econômica: foi reação contra a opressão econômica na época da mineração.

Antes da conspiração chamada " Inconfidência Mineira", de que participou Tiradentes, houve em 1720, na mesma Vila Rica, uma revolução chefiada por Filipe dos Santos.
A principal causa desse movimento revolucionário foi haver o governo português criado casas de fundição onde o ouro era fundido e quintado, isto é, transformado em barras, separando-se o quinto, o imposto pago à coroa. Até então, os que possuíam o precioso metal, muitas vezes o negociavam às escondidas, para não pagar o quinto. Esse comércio em que a mercadoria não paga o imposto criado pela lei tem o nome de contrabando.
Para evitar o contrabando o governo determinou que todo o ouro teria que ser transformado em barra, passando pelas casas de fundição. Ficou então proibida a circulação do ouro em pó e pepitas. Qualquer pessoa que fosse encontrada com o ouro sofreria penas que iam desde o confisco de todos os seus bens até o degredo perpétuo na Africa.
Esse novo procedimento da Coroa Portuguesa levou vários mineradores à decadência econômica, é o caso de Filipe dos Santos, que, na cidade de Vila Rica, se revoltou contra o governo do Conde de Assumar.
Os revoltosos, acompanhados por grande multidão, foram até à Vila do Carmo, atualmente Mariana, onde se encontrava o governador da capitania, D. Pedro Miguel de Almeida, Conde de Assumar. Esse governador com medo da revolta, prometeu atender as todas as reclamações feitas pelos rebeldes.
Entretanto, as agitações continuavam em Vila Rica, chegando-se até a formar uma conspiração para matar o Conde de Assumar. Então os soldados do governador, apelidados Dragões, entraram em Vila Rica e incediaram um povoado que ficava próximo. Esse povoado, habitado por muitos dos rebeldes, chamava-se Arraial do Ouro Podre e é atualmente o Morro da Queimada.
Filipe dos Santos encontrava-se, nessa ocasião, em Cachoeira do Campo, sendo preso pelos Dragões quando, no largo da igreja, pregava ao povo a revolução.
Condenado à morte, Filipe dos Santos foi enforcado e esquartejado em praça pública.
Como consequência dessa revolta, tivemos a separação da capitania de Minas da de São Paulo.

       O julgamento de Filipe dos Santos

Questionário
1- Que medida tomou o governador de Minas para evitar o contrabando de ouro?
2- Que era o quinto?
3- Que era o Arraial do Ouro Podre?
4- Que aconteceu com Filipe dos Santos?
5-Quem era os Dragões?
6- O que era o contrabando?

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Os movimentos nativistas: Revolta dos Beckmam,Guerra dos emboabas, Guerras dos mascates... por profª Alcilene Rodrigues

17ª aula
Formação do sentimento nativista

Para a formação do nativismo que é o sentimento de amor à terra natal, houve muitas causas, sendo a principal a luta contra os invasores, sobretudo os holandeses que haviam ocupado o nordeste.Em pernambuco contra os holandeses, combateram representantes dos três elementos formadores do povo brasileiro: o índio "Filipe Camarão", o negro "Henrique Dias" e o português "João Fernandes Vieira". Nessa ocasião o nativismo já era muito forte e nem o rei foi obedecido, quando ordenou aos rebeldes que suspedessem a luta, pois havia entre Portugal e Holanda uma trégua de dez anos. Também foi uma causa importante do nativismo o orgulho que as bandeiras e as riqueza do Brasil despertavam nos colonos. Esse orgulho provocou a príncipio, pequenos conflitos com os portugueses sem que houvesse a idéia de libertar o Brasil do domínio de Portugal.
Em 1640, houve a restauração, Portugal separou-se da Espanha.
Na Bahia, no Rio de Janeiro e em outros lugares foi reconhecido Dom João IV como soberano portugues.
Na vila de São Paulo em 1641, muitos moradores achavam que a ocasião era oportuna para um movimento de libertação: resolveram aclamar Rei de São Paulo a Amador Bueno, uma pessoa importante dessa vila, mas o próprio Amador Bueno recusou esse título, declarando em público que continuaria fiel ao rei de Portugal.
Ainda nesse século houve uma revolta no Maranhão e no começo do seguinte, ocorreram dois movimentos nativistas importantes: o primeiro chamado Guerra dos Emboabas, na região das minas, atualmente o estado de Minas Gerais e outro Guerra dos Mascastes em Pernambuco, entre os habitantes de Olinda e os de Recife.

A Revolta dos Beckmam ou Maranhão. 

Em 1684, houve no Maranhão (que compreendia os atuais estados do Ceara, Maranhão, Pará e Amazonas) uma revolta chefiada por Manuel Beckmam, rico senhor de engenho e seu irmão Tomás Beckmam. Essa região não apresentava possibilidades para o sucesso da lavoura canavieira, a população local dedicou-se à criação de gado, utilizando mão- de -obra indígena.
Os colonos estavam descontentes com o apoio pelo reino de Portugal aos jesuítas, pois estes insisitiam em defender a liberdade dos índios que os fazendeiros empregavam nas lavouras como escravos.
Finalmente procurou-se um meio de atender aos padres sem prejudicar os colonos: subsituir o índio pelo negro aficano. Foi então em 1682 fundada uma Companhia de Comércio do Maranhão, quando o rei de Portugal concedeu o monopólio comercial por 20 anos  a ela , com a obrigação de trazer da Africa 500 escravos por ano e da Eurpoa certas mercadorias que não havia no Maranhão como bacalhau e azeite. A Companhia, porém não cumpriu com o prometido, os escravos que trazia eram em números muito reduzidos e as mercadorias, de má qualidade. Estorou então em fevereiro de 1684 a revolta em São Luis, Manuel Beckmam, tomou conta do governo, expulsou os jesuítas e extinguiu a Companhia do Comércio.
Entretanto, Manuel Beckmam, dotado de gênio violento, conquistou  muitos inimigos, enquanto Portugal enviava ao Brasil para governar o Maranhão um homem inteligente Gomes Freire de Andrada , em 1685. Com o apoio da população e das tropas, o novo governo conseguiu sufocar o movimento.
O lideres da revolta foram presos e julgados, Manuel Beckmam procurou-se esconder-se mas foi afinal preso. Seu afilhado Làzaro Melo, que lhe merecia toda confiança, o traiu, indicando o lugar onde ele se havia ocultado..
Manuel Beckmam foi condenado á morte e executado, sendo todos os seus bens vendidos em leilão. Jorge Sampaio que tambem participou da revolta foi enforcado e quanto a Lázaro Melo, teve morte horrível, garroteado ao desembaraçar os bois que moviam um engenho.

          Abastecimento: uma questão delicada entre Portugal e os colonos do Maranhão.


Guerra dos Emboabas

Com a descoberta das minas de ouro, feitas pelos bandeirantes, atraíram para a região que depois se chamou Minas Gerais, gente de toda parte do Brasil até mesmo de Portugal. A essas pessoas que chegaram depois, os paulistas deram , por desprezo, o apelido de emboabas, palavra de origem provavelmente tupi.
Emboaba, para muitos escritores, deriva-se de "mboab", nome que os indios tupis davam a uma ave com pernas e pés cobertos de penas. Os paulistas aplicavam o mesmo nome aos portugueses porque eles andavam sempre calçados com grandes botas.
Entre os paulistas e os emboabas havia constantes brigas, pois os primeiros receavam perder as minas, descobertas com tantas dificuldades. Quando os emboabas se sentiram muitos fortes, resolveram aclamar Governador das Minas o português Manuel Nunes Viana, dono de muitas fazendas de gado nas margens do rio São Francisco.
O mais importante combate ocorreu próximo ao rio das Velhas, o local  ficou conhecido como Capão da Traição e o rio como rio das Mortes. O vencedor Bento Amaral Coutinho, prometeu garantir a vida dos paulistas vencidos  da-lhes "bom quartel" se entregassem as armas. Quando estavam desarmados, foram mortos friamente pelos emboabas, apesar dos protestos de muitos emboabas católicos de seu destacamento. Os que fugiram alcançaram São Paulo, mas suas esposas e irmãs, indgnadas, exigiram que voltassem para vingar a morte dos companheiros.
Nessa ocasião o governador do Rio de Janeiro, Antonio de Albuquerque, que também tinha autoridade na região mineira, conseguiu que Manuel Nunes Viana renunciasse ao título de governador da Minas gerais, dado por seus companheiros. Mas não conseguiu evitar que os paulistas fossem novamente ao rio das Mortes, onde queriam se vingar a derrota anterior. Durante a noite quando o combate já havia iniciado, resolveram os paulistas retirar-se ao saber que os emboabas iam receber reforços.
Essa luta teve resultados importantes: uma lei de 1709 reconhecia os esforços dos paulistas na exploração das riquezas minerais: São Paulo e Minas passavam a formar uma capitania separada da capitania do Rio de Janeiro. Dois anos depois, o rei de portugal concedia aos paulistas outra vantagem: a vila de São Paulo era elevada à categoria de cidade.

            Os bandeirantes paulista a caminho das Minas Gerais.


Guerra dos Mascates

O episódio chamado Guerra dos Mascates ocorreu entre os habitantes de Olinda e os de Recife. Os primeiros pertenciam a antigas famílias pernambucanas que se haviam enriquecido como engenhos de açucar. Mas com as invasões holandesas, muitos olindeses perderam suas riquezas e a própria Olinda deixou de ser capital de Pernambuco. Os holandeses preferiram estabelecer a sede do governo em Recife, que era simples povoação mas possuia um bom porto. Com a vinda de Nassau , Recife teve importantes melhoramentos, construiram muitas casas, até pálacios e jardins.
Mais tarde expulsos os invasores, a capital voltou para Olinda, mas era Recife que apresentava progresso cada vez maior. Os habitantes dessa povoação, em geral portugueses enriquecidos no comércio, tinham origem humilde: os olidenses, por isso, chamavam-lhe de mascates.
Em 1710, houve a revolta dos olidenses, porque Recife se tornou vila, deixando, portanto de obedecer às autoridades de Olinda, além da inauguração do pelourinho, simbolo de administração e da justiça.
Com o movimento armado culminou  a derrubada do pelourinho.
O governador de Pernanbuco, Sebastião de Castro Caldas, acusado de ser favorável aos mascates, foi ferido e fugiu para a Bahia. Em seu lugar foi escolhido o bispo de Olinda, Dom Manuel Alvares da Costa, que decretou a anistia geral: perdão para todos os que estavam envolvidos na revolta.
Nem com a anistia o bispo conseguiu acabar com a luta. Os olidenses, que haviam cercado Recife, foram derrotados no combate de  Jenipapo. Partipava da luta contra os mascates um rico fazendeiro, Bernardo Vieira de Melo, que ja se havia distinguido combatendo os negros do quilombo de Palmares.
Durante a Guerra dos Mascates, Bernardo Vieira de Melo chegou a propor aos seus companheiros de Olinda a independencia de Pernambuco com um governo republicano. mas olidenses acharam a proposta arriscada e por isso, não a aceitaram.
Com a chegada do novo governador Félix José Machado, a ordem foi restabelecida em Pernambuco. quanto ao sentimento nativista, que se havia formado entre os pernambucanos, durante a luta contra os holandeses, tornou-se ainda mais forte com a Guerra dos Mascates.

          A guerra dos mascates e olidenses



Questionário:
1- Que é nativismo?
2- Quais as causas do nativimo?
3- Que houve em São Paulo em 1641?
4- Quais as causas da revolta dos Beckmam?
5- Qual a origem da palavra emboaba?
6- Quem era os emboabas?
7- Que houve no Capão da Traição?
8-Quem eram os Mascates?
9- Por que houve a Guerra dos Mascates?
10-Quem foi Félix José Machado?


segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

A raposa do deserto, o marechal de campo alemão Erwin Rommel...por Profª Alcilene Rodrigues

Erwin Johan Eugen Rommel:

Nasceu no dia 15 de novembro de 1891 e faleceu em 14 de outubro de 1944.
Não tinha origem na aristocracia, seu pai um médico provinciano protestante de classe média.
Sua ascensão no exército alemão se deu pela abertura do oficialato as classes sociais emergentes da burguesia, iniciada por Guilherme II, em 1890, e pela sua inteligencia e ousadia nos campos de batalha da Primeira Guerra mundial. Isso ajudou na boa relação que tinha com Hitler, que às vezes se sentia esnobado pelos aristocratas e imaginava ter muito em comum com Rommel devido a origem popular e a vivencia de combate de ambos.


O Marechal Erwin Rommel, a "Raposa do Deserto", foi mestre do deslocamento rápido e dos ataques fulminantes de blindados da Blizkrieg, militar de raro valor que serviu nas forças armadas alemãs na Primeira e na Segunda Guerra Mundiais na Europa, que foram parecidas em um aspecto fundamental: as duas tinham duas frentes de combate principais e outras secundárias, cuja influência variava durante o desenrolar do conflito e poderia afetar de algum modo seu resultado.

Unanimidade entre os militares de todo mundo e patrono do Bandeswehr, Rommel foi um raro caso de comandante militar que despertava mais respeito do que ódio entre seus adversários é reverenciado até hoje por seus oponentes.

"Seu fervor e sua audácia nos causaram sérios danos, mas ele merece os cumprimentos que lhe fiz na Câmara dos comuns, em janeiro de 1942...". Elogiado por Winston Churchill - no parlamento britânico.

Ironicamente o general alemão tinha contruido sua fama graças as proezas contra os italianos na Primeira Guerra Mundial. No segundo conflito seu papel foi ajudar os agora aliados da Italia facista de Benito Mussolini

Rommel desembarcou em Tripoli em 12 de fevereiro de 1942.

Dois dias depois acontece o primeiro confronto em Norfilia, onde tropas britânicas e alemãs se cruzam durante manobras de reconhecimento ao longo da estrada costeira de Sirte. Mesmo com os alemães acumulando forças, os britânicos são forçados a enviar quatro divisões para a Grécia, para ajudar na defesa do país. Isso enfraquece seriamente a força britânica e, 24 de março, o AfrikaKorps captura El Agheila. Uma semana depois, outro ataque a Mersa e Brega é o prenúncio de um avanço alemão que iria colocar um Exército inteiro com a fama de indestrutível e fazer de seu comandante um dos generais mais lembrados de todos os tempos. Mas depois de avanços e vitórias, a AfrikaKorps sofre sem apoio logístico e vai perdendo os territórios conquistados até Rommel ser chamado de volta para a Alemanha no inicio de março, Hitler ordenou que o general retornasse para que sua imagem de vencedor não fosse prejudicada pela previsível derrota, bem a tempo no dia 13 de maio 1943, o exército alemão restantes na África se rendem aos Aliados.Hitler tinha pouco interesse no norte da Africa. Não fosse por isso, a guerra na região tinha terminado provavelmente com uma derrota britânica.

Citações do próprio Rommel:
"As linhas de abastecimento são particularmente vulneráveis, dado que todos os combustíveis e munições, matérias necessárias para a batalha, tem de passar por elas. Em conseqüência devemos proteger as nossas, por todo meio possível e tratar de desorganizar, ou melhor, interromper, as do inimigo. Operações contra os pontos de abastecimento do adversário obrigaram ao inimigo imediatamente a interromper uma batalha em qualquer outro ponto, pois, como já se demonstrou, os abastecimentos são à base da eficiência combativa e devemos sempre dar-lhes prioridade de defesa".


Admiro Erwin Rommel pela sua postura de homem, era bom marido e pai de família, era justo, não admitia mortes desnecessárias nem dos supostos adversários, abusos de civis, crianças e mulheres, era simples comia ovos fritos com seus soldados fritados nos blindados quentes pelo sol, fazia questão de enterrar seus soldados mortos em combate. Todos os seus soldados tinham admiração e respeito pelo general devido sua postura ética e profissional, um senso de dever e obediência que levou esta poderosa máquina de guerra a servir cegamente os desejos dos nazistas. Mas também admito que Rommel foi um dos principais elementos de propaganda do III Reich durante os vitoriosos anos iniciais da Segunda Guerra. Quando Rommel chegou à África, os italianos estavam dispersos e perdidos, e o general alemão conseguiu formar um exército combativo, evidentemente à custa da máquina de guerra nazista, mas esse front nunca fora referência para Hitler, e acabou sendo um front desabastecido de suprimentos, a derrota foi inevitável. A "Raposa do Deserto" ficou sem comando quase todo o ano de 1943, quando foi dada a missão de cuidar da Muralha do Atlântico, e, na primeira inspeção, ficou claro o quanto a Muralha era frágil. Aconteceu o Dia D, Rommel foi ferido e enviado para casa.
Após a campanha na Africa, Rommel percebeu que Hitler segueria mesmo sem chance de vitória alemã. Em 1944, na Normandia decidiu que era hora de derrubar o Partido Nazista do poder.

No final das contas Rommel foi envolvido no atentado contra o Fuher em 1945 e por isso foi forçado a cometer suicídio. Mas como explicar ao povo alemão a traição daquele que eles tinham elevado a condição de herói e genio. A solução foi uma farsa cruel e cínica.Saiu de casa com seu uniforme do Afrikakorps e, meia hora depois sua mulher recebeu uma ligação do hospital dizendo que Rommel havia morrido devido aos ferimentos sofridos na Normandia. Foi enterrado com todas as honras como herói do Terceiro Reich. Sua familia não foi perseguida mas obrigada a manter silencio sobre a farsa nazista. O fato de ter sido morto pelo sistema que defendeu, ajudou na construção da imagem de um militar patriota e ético, mas não nazista. Infelizmente Rommel era fascinado por Hitler e pelo Nazismo, mas no decorrer da guerra essa fascinação se transformou em decepção. Mas a imagem se perpetuou e Erwin Rommel é citado como um dos maiores generais da História.

Sem ofender os demais militares da época, era um militar que estava lá para executar sua estratégia militar e não ficar perdendo tempo com discussão com seus superiores, inclusive sofria com algumas das intervenções de Hitler.

Erwin Rommel e Claus Schenck Graf von Stauffenberg ( operação Valkyria) são produtos de uma imagem que os aliados fazem para mostrar que o governo Alemão contava com resistência, e desacordo com a dinâmica dos acontecimentos vigentes, calculo que existia na verdade uma sociopatia e uma briga pelo poder entre eles.Os alemães e aliados proclamaram o dia 20 de Julho como dia de Stauffenberg.Foram escolhidos como heróis pelos aliados, os personagens que tentaram de alguma forma tirar Hitler do poder.


                 A "Raposa do deserto": Rommel.
                                                 


Tarefa: a) Pesquisar o que foi a operação Valkyria e porque não deu certo esse atentado?

b) Assistir aos filmes: Raposa do deserto e Operação Valkyria.

Video sobre o marechal Rommel em 5 capitulos, vale a penar assistir...o restante ver no youtube.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Mensagens apaixonadas e I BELIEVE IN LOVE - NIKKA COSTA (com tradução)

Mensagens enviadas pela mulherada pra mim obrigada.. achei bonitinho...bjs

Voce sabia:
Você sabia que quando voce não consegue dormir é porque tem outra pessoa pensando em você!

Voce sabia?
Que quando você sonha com uma pessoa, essa pessoa foi dormir pensando em você ?!!

Voce sabia?

Quando a pessoa que você gosta, olha para você e depois olha para baixo, ela está louca por você?!!

Voce sabia?

Que quando uma pessoa olha diretamente nos olhos , ela te ama mais do que você pensa ?!!

Voce sabia?

Quando a pessoa olha para você muitas vezes, ela não pode viver sem você ?!!

Voce sabia ?

Quando ela sai e diz vários adeus, é porque ela não quer deixar você ir?!!

AGORA FECHE OS OLHOS .
Faça 2 (dois) pedidos ...hummmm









Eu gosto muito dessa música com voz de criancinha me encanta muito. Achava lindo a amizade da Nikka e seu pai Dom Costa, ele se foi e ela tornou-se uma boa mulher  graças ao grande amor dos dois...amém!

                        

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Significado de Posse no ordenamento jurídico..por profª Alcilene Rodrigues

I - Conceito de Posse
Muitas teorias podem ser reunidas em 2 grupos:
a) Teorias subjetivas- Savigny filósofo e jurista alemão, tratado de posse em 2 volumes -1803.
b) Teorias objetivas- Ihering - alemão posterior a Savigny, teoria simplificada da posse.

Teorias Subjetivas - para Savigny: " A posse é o poder de dispor físicamente da coisa, com a intenção de tê-la para si e defendê-la".
A posse resulta de 2 elementos;
1- O "corpus"
2- O "animus"

O corpus é o elemento material é o poder físico da pessoa sob a coisa.
O animus é o elemento intelectual da posse que representa a vontade do titular de ter a coisa como sua.
Para caracterizar a posse precisa dos dois elementos: corpus e animus.
A simples detenção gera a posse natural - animus.
Posse civil- Direito Romano, é preciso a ação voltada para os dois elementos: corpus, supõe-se apreensão física da coisa (animus).
" Animus - é ele exigido como tendo vontade própria da coisa.
" Animus domini" a vontade de ter a coisa como dono, ser proprietário da coisa.
Segundo Savigny, não são possuidores o locatário, etc, coisas por força do contrato.
"Animus rem sibi hahendi "- vontade de ter a coisa como sua. Exemplo: o Usucapião, posse de boa fé, justa ,mansa com justo título de boa fé, ininterrupta.
A teoria subjetiva só conhece o "animus domini"- a vontade de ter a coisa como sua.

Teorias Objetivas, Ihering atacou o pensamento da Savigny.
Preliminamente distinção entre Posse e Propriedade, para ingressar na idéia de Ihering.
Na linguagem vulgar não há distinção, para o jurista são fenômenos distintos.
 " A posse e a propriedade está reunida na mesma pessoa.
As vezes estão separadas de um lado a propriedade(direito) e do outro a posse (situação de fato).
Ambas podem encontrar reunidas numa só pessoa, mas podem estar separadas, em razão de um contrato: Usufruto, servidão, etc.
Essa separação é de duas maneiras:
1- Voluntariamente- o proprietário transfere a posse voluntariamente a outra pessoa, por força de um contrato, a locação por exemplo por contrato de locação, por força de um direito
2- A posse é separada, é tirada violentamente contra vontade do proprietário.
Posse justa - o proprietário deve respeitá-la. Exemplo: locação, aquele que não é dono.
Posse injusta - por violência, precariedade, clandestinidade, é posse com vícios.
o proprietário poderá recuperar com os direitos da lei.

Relação:
Na posse do proprietário, o direito de possuir " ius possidendi" do proprietário.
Na posse do possuidor, também é um  direito de possuir "ius possessionis".
A importância é o direito de possuir, a posse é um conteúdo de ou objeto de direito do proprietário.

Posse dois pontos de vista sob posse:
1- a posse como condição de um nascimento de um direito. Ela deve manisfestar em toda a sua realidade é precisamente a posse. É indispensável para os fins de propriedade, nos atos intervivos, das coisas abandonadas e sem dono. Adquiri a propriedade pela posse, a posse é multipla das condições do nascimento de um direito.
2- a posse como fundamento de um direito. O possuidor está protegido contra a ofensa da sua posse. O direito de possuir do possuidor, excluida a propriedade, é somente possuidor, a lei protege a defesa da posse.
O " ius possessionis" o direito do possuidor de prevalecer, até que alguém de melhor título para retirá-lo da posse. Se isso não ocorrer, ele adquiri a propriedade.
Para Ihering, a posse também se compõe-se dos 2 elementos: "corpus e animus."
Porque os dois juristas inspiram no mesmo dispositivo romano, diferem-se no ponto de vista.
Para Ihering basta o crpus que constitui o único elemento da posse, que vem o animus como decorrencia da coisa. O corpus é a distinção dada pelo seu proprietário. A posse é a visibilidade do dominio.
Para Ihering " A posse não é o poder físico da coisa, é a exteriorazação da propriedade, por que nem todas as coisas comportam poder físico, apreensão material."
A  propriedade é o destino economico.
O possuidor usa a coisa tornando-a produtiva, conforme o proprietário. Possuidor usa como se fosse o proprietário.
O Código Civil Brasileiro adotou a teoria objetiva de Ihering. Art. 485 - fornece os elementos, o possuidor, os poderes: usar, gozar e dispor da coisa.

II- Origem da Posse

A evolução da posse pode ser resumidas em poucas palavras. A posse antece históricamente a propriedade . A posse é a exterioridade da propriedade.
Povos antigos igual posse tribal dos povos mais antigos, posse coletiva semelhante a propriedade coletiva. Depois com o desenvolvimento a posse distingue da propriedade.


III- Natureza Jurídica da Posse

A posse é fato ou direito?
A resposta não é uniforme desde o direito romano.Uns afirmam os dois e outros não. No direito romano, 2 textos:
1- " possessions est rem facti, non iuris". A posse é uma coisa de fato não de direito.

 Opinião de:
A) Savigny: em seu príncipio a posse " é um fato" e em sua existência não é regra do direito. A posse recebe proteção do ordenamento jurídico do Estado.
B) Ihering: A posse é um direito, " a posse é um interesse legalmente protegido, porque os positivistas defendiam o direito , que é o interesse protegido pela norma jurídica. 




Para Clóvis Bevilacqua (positivista):
A posse não é um direito real porque na sistemática do Código Civil Brasileiro não existe outros reais além dos artigo 684. " A posse é um direito especial sendo a manifestação do direito real, bem como de todos os seus desmembramentos".
Propriedade: usar, gozar , dispor.
Para a doutrina brasileira e tribunais: A posse é um direito real porque está amplamente descrita na lei - Livro 2º da parte especial - dedicado a posse.


                           Friedrich Carl Von Savigny
                              Rudolf Von Ihering
Resolver: Savigny e Ihering inspiraram-se no mesmo dispositivo romano, mas diferem -se no ponto de vista explique isso?
                O direito civil brasileiro segue qual linha de pensamento?

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Lenin e Gandhi...por Profª Alcilene Rodrigues

Lenin
Lenin nasceu em 1870, foi um dos grandes responsáveis da Rússia.
Seu verdadeiro nome era Vladimir Ilyich Ulyanov.
Quando moço foi exilado na Sibéria porque publicava jornais contra o governo. Mais tarde viveu em vários países da Europa, escrevendo importantes livros sobre política.
Quando o povo russo depôs seu imperador, o Czar Nicolau II, em 1917, Lenin voltou a Rússia juntamente com outros políticos exilados. Chefiou então um grupo conhecido como "bolchevistas" que em breve tomou conta do governo, tornando-se Lenin o homem mais importante da nova República Socialista Soviética.


                                      Lenin na Revolução de Outubro
                                            Lenin com Stalin



Gandhi
Nascido em Bombaim (India) em 1869, Mohandas Karamchand Gandhi, foi educado em sua terra natal, completando os estudos jurídicos em Londres.
Membro do Supremo Tribunal em Bombaim, estabeleceu-se depois como advogado, na Africa do Sul. Lá iniciou seu apostolado em favor dos oprimidos organizando a resistência contra as medidas injustas do governo em relação à comunidade hindu. De volta à pátria continuou a doutrinação tentando acabar com as hostilidades entre as duas principais religiões do País, a maometanos e a hindus.
Gandhi foi preso várias vezes devido as suas idéias. Foi assassinado por um extremista hindu, enquanto dirigia preces públicas em Nova Delhi.


Mahatma Gandhi em Londres estudando direito 1888.
Mahatma Gandhi no seu escritório de advocacia na Africa do Sul 1893.
Mahatma Gandhi quando tornou-se  um ideal de paz e não-violencia.

Dentro do ideal de paz e não-violência que ele defendia, uma de suas frases foi: "Não existe um caminho para paz ! A paz é o caminho!".
Cquote1.svgFelicidade é quando o que você pensa, o que você diz e o que você faz estão em harmonia.Cquote2.svg
Mahatma Gandhi


Questão: Definir as diferenças de personalidades dos dois líderes, explicar cada uma delas.
                Qual a personalidade que voce mais gostou, porquê?

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Direitos das coisas ou reais...por profª Alcilene Rodrigues e Prova Final - Teoria Geral dos Direitos Reais

I-   Conceito
II-  Direitos Reais e Direitos Pessoais
III- Classificação
IV- Caracteres
V-  Conteúdo
VI- Constituição

I- Conceito:

Os Direitos das Coisas ou Reais acha-se no Livro II - parte especial do  art. 485  a  art. 862 do Código Civil tem por objeto coisas do mundo exterior. Bens- nem tudo na natureza são bens, precisa haver alguns requisitos:
- satisfazer a necessidade humana.
- bem jurídico que pode pertencer a alguém.
- tem que ter valor para apreciação econômica.
- úteis ao homem, raro a natureza.
- tanto as coisas corpóreas ou imateriais

" O direito das coisas é o complexo de normas reguladoras das relações jurídicas, aos bens corpóreos e aos direitos autorais".

Compreende esses direitos:
- a posse
- a propriedade
- os direitos reais sob coisas alheias
- a propriedade: literária, científica e artística.

A propriedade se desmenda, se divide.
A propriedade constitui de 3 poderes:
- usar (ius utendi)
- gosar (fruendi)
- dispor de seus bens (et abutendi)
Os três poderes juntos dão o direito a quem possui a propriedade completamente ou seja "a propriedade plena".
Direito Real de coisa alheia, um exemplo: o Usufruto.
Usufruir é usar e tirar os frutos.
Dividi-se em duas pessoas:
a) o usufrutuário que tem dois poderes: usar e gozar.
b) nu-proprietário, cabe o poder de dispor da coisa, ainda que restritamente de forma limitada. Pode arrendar, locar a outra pessoa.
O usufrutuário pode dar ao locatário o uso da coisa, por força de um contrato.
O usufruto pode ser vitálicio ou temporário, por contrato e registro público do imóvel.

Origem do Direito das Coisas:
 Vem do direito romano muito individualista nítidamente nos direitos das coisas um direito absoluto, perpétuo, porque jamais se extingue, somente por vontade de seu títular, segundo seus próprios interesses, não podera sofrer restrições.
 Inúmeros fatores limitaram essas restrições hoje, a sociedade, o fim social da propriedade é ser produtiva. Exemplo a reforma Agrária da Constituição Federal, produzir bens para o consumo social.

" O direito das coisas é o complexo de normas reguladoras das relações jurídicas referentes as coisas suscetiveis pela propriação pelo homem, sejam as coisas incorpóreas ou corpórea. Exemplo propriedade literária, científica e artística.".


II - Direitos Reais e Pessoais

O código civil chama de direito das coisas os direitos reais e os pessoais de direito das obrigações.
Distingui os dois direitos, reais do pessoais:
a) O direito das coisas se caracteriza pelo poder do sujeito sobre a coisa. Exemplo: usar, gozar ou dispor.
É ato exclusivo do titular do direito.Exemplo; disposição à título oneroso, gratuito, abandono, destruir.
b) No direito das obrigações o que se vê é uma relação jurídica entre duas pessoas certas e determinadas.
Exemplo; no caso do credor o direito só haverá se o devedor cumprir como foi determinado a obrigação.
    Direito de crédito ou creditício. O credor acredita que o devedor pagará no dia convencionado.
Condição é um acontecimento incerto, exemplo lhe dou um carro quando você casar.
Termo é um evento futuro certo.
c) O direito das obrigações é um crédito.
d) o direito das coisas compõem-se de três elementos;
- sujeito ativo (é determinado)
- a coisa (corpórea e incorpórea)
- o poder que o sujeito exerce sobre a coisa direta ou indiretamente, a inflexão.
e) O direito das obrigações tem três elementos:
a) sujeito ativo (credor)}                relação determinada
b) sujeito passivo (devedor)}         relação determinada
c) prestação (ação humana positiva dar, fazer ou não fazer).

"Proporteo hominis ad hominem" - Relação de homem para homem ( Dante Alligieri)
 O direito de dar o que lhe é direito segundo nossa sociedade.

III- Classificação
São duas espécies onde incluíra todos os direitos reias:

1ª espécie - " Ius in re propria"- o direito em coisa própria.
2ª espécie - " Iura in re aliena" -  o direito que exerce sob coisas alheias

1ª espécie  - direito que exerce em coisa própria. Exemplo: a propriedade, o direito amplo que serve de fundamento a todos direitos reais.
2ª espécie  - art.674  inúmera nove artigos subdivididos em 2 espécies:
- direitos reais de gozo ou fruição
- direitos reais de garantia: o penhor, a anticrese e a hipotéca- o devedor entrega ao credor em garantia de seu crédito.
Anticrese refere-se tanto a coisa móvel como imóvel é dada pelos frutos da coisa. Exemplo: aluguel
Hipotéca- o devedor dá em garantia da dívida.
Direitos reais de gozo ou fruição: enfiteuse, servidões prediais, usufruto, habitação, rendas constituidas sobre imóveis.
Compromisso irretratável de compra e venda no Registro de Imóveis devidamente transcrito no registro competente (lei 6.015).

IV- Caracteres fundamentais dos direitos reais
É um direito que se liga, adere a coisa objeto do direito, sujeitando-a ao poder do seu titular.
Segue seu objeto onde quer que se encontre, é um direito de buscar a coisa de quem a usa de forma injusta.
Direito de Sequela, direito de acompanhar a coisa. É o caso do usufruto: gozar, direito de sispor a titulo gratuito, oneroso, mortis causa. Todos os bens ficam aos herdeiros, estes recebem a nu-propriedade
Direito Exclusivo, isto significa que não se pode criar um direito real onde exista outro exatamente igual, o proprietario usa com exclusividade.
Direito Absoluto defendido de Ação real, exercido contra qualquer outra pessoa. É "erga-omnes" contra todos acima de tudo.
Os direitos reais são números limitados. Nove-art.674 + propriedade, portanto dez.
São suscetiveis de posse, objeto de posse. Art.485, quem usa a coisa é possuidor. Exemplo inquilino, usufrutuário, doação de seus bens, usufruto vitálicio, é proibido doar todos os bens, só é permitido se houver usufruto para sobrevivencia.
A posse também se desmembra para várias pessoas. Exemplo posse direta exerce o poder direto sobre a coisa, posse indireta do propritário sob o inquilino.


V- Conteúdo dos Direitos Reais

Do que se constitui o objeto dos direitos reais? Tanto das coisas incorporeas ou imateriais podem ser objeto dos direitos reais. Se o titular exerce o poder sob a coisa não importa se a coisa é material ou imaterial. Exemplo crédito, propriedade cultural, artistica, etc. O fundo do comércio - direitos imateriais do comerciante, clientela, ponto do comercio, penhor.

VI- A Constituição dos Direitos Reais
Como se adquirem e se criam os direitos reais, o direito brasileiro segue o romano.
O contrato não é suficiente para adquirir direitos reais, adquirem por fatos jurídicos que servem de causa.
Adquire-se por inúmeros modos. É preciso de um ato jurídico que seja justo mais um fato que a lei dá prerrogativa de adquirir o direito real.
Modos:
a) Originários- adquiri-se o direito pelo ato do próprio adquirente ou em razão do ato pratico, não há transmissão de direito. para outra pessoa. É um direito que nasce com seu adquirente, direito pleno de quaisquer restrições, sem limites. Exemplo auele que apreender o animal torna-se dono dele, pescar um peixe, caçar um coelho.
Usucapião, adquirir pela apreensão, o direito de propriedade nasce com o direito, pela posse mansa, pacífica e ininterrupta.
" Rés Abilis", a coisa capaz de se adquirir por usucapião.
b) Derivados- ocorre a transferência de diretio de uma pessoa a outra, ocorre a "traditio", tradição tranferência da coisa do trasmitente ao adquirente. Tem as mesmas caracteristicas de direito do transmitente.
Exemplo: Usufruto imóvel, o proprietário pode vende-lo. Os adquirentes recebem um direito restrito.
                Servidão predial- 2 prédios:
- o dominante - que tem direito do prédio.
- serviente - obrigação de suportar essa situação, tenho que respeitar o direito alheio.


              Após a leitura assisitir o video do prof.de Direito Civil João Aguirre para reforço.