terça-feira, 1 de agosto de 2017

Relações entre os seres vivos...profª Alcilene Rodrigues

Biologia

15ª aula

O funcionamento de uma comunidade depende das diversas relações ou interações entre os organismos que a compõem. Essas relações podem ser:

1) intra-especificas ou homotípicas- quando ocorrem entre seres da mesma espécie.





2) interespecíficas ou heterotípicas - quando ocorrem entre seres de espécies diferentes.



Em geral todas são classificadas em:
3) positivas ou harmônicas- quando não há prejuízos para nenhuma população nem para os indivíduos associados.

4) negativas ou desarmônicas- quando, pelo menos, um indivíduos ou uma das populações é prejudicada na associação, o que significa que suas chances de sobrevivência ou de sucessos reprodutivo(medido pelo número médio de filhotes)ficam diminuídas.
5)neutralismo- quando duas ou mais espécies, vivendo no mesmo habitat, não são afetadas umas pela outras.














Veja as associações que estudaremos:






Relações harmônicas
(Interações positivas)

Intra-especificas

Sociedade
Colônia


Interespecíficas

Mutualismo
Protocooperação
Comensalismo


Relações desarmônicas
(Interações negativas)

Intra-específicas

Canibalismo
Competição intra-específica


Interespecíficas

Competição intra-específica

Amensalismo
Predatismo

Parasitismo






REFLETINDO E CONCLUINDO:

1- A avoante também conhecida como arribação (Zenaida auriculata noronha), é uma ave migratória que se desloca no Nordeste., acompanhando o ritmo das chuvas, encontrando-se ameaçada de extinção, em decorrência da caça indiscriminada. A relação com o homem é:
a) harmônica, intra-específica e de predação 
b) desarmônica, intra-específica e de comensalismo
c) harmônica, interespecífica e de parasitismo
d) desarmônica, interespecífica e de predação.

2- Nas relações entre os seres vivos, considere os seguintes códigos; (+) quando o desenvolvimento da espécie se torna possível ou é melhorado;(-) quando o desenvolvimento da espécie é reduzido ou se torna impossível; (0) quando as espécies não são afetadas em seu desenvolvimento. A partir desses códigos, a relação entre duas espécies que ocupam o mesmo hábitat e exploram o mesmo nicho ecológico deve ser representada por:
a) ++
b)+ -
c)+ 0
d)- +
e) - -

Recapitulando:






segunda-feira, 3 de julho de 2017

Crescimento das populações na natureza...por profª Alcilene Rodrigues

Biologia

14ª aula




O crescimento exponencial na natureza é observado apenas em circunstancias especiais e por curto período de tempo. Dois exemplos: uma nova espécie invade um novo ambiente onde ela não encontra, de início, nenhum inimigo natural, populações de insetos de climas temperados crescem rapidamente no verão e na primavera, mas morrem com a mesma rapidez na chegada do inverno (muitos ovos sobrevivem até a chegada do próximo verão). 
 Em alguns casos, o número de predadores e o de presas oscilam ao longo do tempo. Quando o número de presas aumenta cresce. Esse aumento provoca crescimento da mortalidade das presas, que diminuem de número. Com isso, por causa da escassez de alimentos, o número de predadores também diminui e volta ao ponto inicial.
O predador não é o único fator que influi nas oscilações periódicas dessas populações. No caso das populações de lebres e linces do Canadá, a queda no número de lebres(presa) deve-se ao número de aumento de linces e à diminuição na qualidade e na quantidade das plantas que lhes servem de alimento, fazendo com que  muitos indivíduos morram. Além disso, com a perda de peso, pela falta de alimento, as lebres ficam mais vulneráveis à predação dos linces.
A ação combinada da falta de alimento e da predação reduz o número de lebres , o que faz a população de linces diminuir e permite que a população de plantas se recupere. O ciclo recomeça com o aumento do número de lebres e de linces.
O crescimento das populações é influenciado também pela ação de parasitas. Quanto maior a densidade de uma população, maior a proximidade entre os indivíduos e mais facilidade o parasita encontra para disseminar-se.

Refletindo e concluindo: 
1) Que fatores provocam uma oscilação periódica na população de presas e seu predador?



Animais de estimação camuflados conseguem se esconder de seus donos dentro de casa.



sábado, 3 de junho de 2017

A Grande Depressão...profª Alcilene Rodrigues


Historia e Sociologia


A Grande Depressão


20ª aula  

A Grande Depressão foi um período de recessão econômico que teve inicio em 1930. Considerado o pior e mais longo período de recessão do século XX, caracterizou-se por altas taxas de desemprego e quedas drásticas na produção industrial, no preço das ações e no Produto Interno Bruto de diversos países. A Grande Depressão foi um evento durante o qual a economia dos EUA passou por uma violenta recessão após a quebra da Bolsa de Nova York. Nesse contexto, as empresas produziram em quantidades que não equivaliam ao poder de compra do mercado e, por esta razão, tiveram que abaixar o preço dos produtos e despedir milhares de trabalhadores. No mercado externo, a Grande Depressão pôde ser sentida nas nações europeias que dependiam fortemente dos recursos financeiros emprestados pela economia norte-americana. A partir da crise, os governos europeus também foram vitimados pelo retrocesso da economia dos Estados Unidos da América.
Embora os Estados Unidos já estivessem atravessando um período de dificuldades, foi no dia 24 de outubro de 1929 que a Grande Depressão começou. Nesse dia conhecido  como Quinta-Feira Negra, as Bolsas de Valores de Nova York caíram drasticamente, levando milhares de pessoas a perder grandes quantidades de dinheiro, ou até mesmo tudo o que tinham.
Os efeitos da Grande Depressão foram sentidos no mundo inteiro, mas de forma diferente em cada lugar. Países como os Estados Unidos, o Canadá, e o Reino Unido foram duramente atingidos e sofreram grandes prejuízos econômicos e sociais.
No liberalismo econômico clássico a economia é pensada como um organismo capaz de se autorregulamentar, capaz de conceber as alternativas que a levariam ao equilíbrio. Sob tal aspecto, a intervenção do Estado é vista de modo negativo, tendo em vista que essa interferência impediria que a economia viesse a se desenvolver mais e mais. Em contrapartida, o New Deal abandona essa visão autorreguladora da economia ao acreditar que a intervenção do governo seja necessária para que os desequilíbrios do sistema econômico não venham a causar prejuízos que afetem toda a sociedade.
Já no Brasil, o período da Grande Depressão correspondeu a uma época de industrialização acelerada. As implicações da Depressão na economia brasileira foram bastante significativas. O descontrole da economia norte-americana reduziu drasticamente os lucros obtidos com a exportação do café. Por esse mesmo motivo, vários setores do comércio e da indústria também foram obrigados a fechar postos de trabalho, tendo em vista que também dependiam dos lucros do café para ampliarem.
Politicas de combate à Grande Depressão foram implementadas em diversos países. Os pontos principais dessas politicas eram a intervenção do governo na economia e os programas de ajuda social, como foi o caso do New Deal americano. Foi a partir dai que se construiu o chamado Estado de Bem-Estar Social. Em alguns  países, a Grande Depressão foi um dos fatores que contribuíram para a ascensão de governos de extrema direita, como o governo nazista da Alemanha.Os efeitos da Crise de 1929 não foram sentidos na União Soviética tendo em vista que o país se encontrava em um modelo econômico restrito aos países que integravam o bloco dos países socialistas. Através dos chamados planos quinquenais, Stálin orientava o modelo de desenvolvimento da economia por meio de metas que se renovavam a casa período de cinco anos.
Assimilando Conceitos:
1-A Grande Depressão eclodiu num mundo otimista que parecia caminhar na direção de uma prosperidade permanente. Ela iniciou-se com o crack da bolsa de Nova York em outubro de 1929, afetando todas as atividades econômicas dos Estados Unidos e se propagando através do mundo.
a) Caracterize a Grande Depressão e indique o motivo pelo qual seus efeitos foram sentidos em diversas regiões do mundo.
b) Indique uma consequência da Grande Depressão para a economia brasileira.

2-Entre os fatores que ocasionaram a crise de 1929 nos EUA destaca(m)-se:
a) o protecionismo rígido, a escassez de crédito bancário e a superprodução.
b) a saturação do mercado, a crise na agricultura e o crash da bolsa de Nova York.
c). a superprodução, a saturação do mercado e a expansão desmedida do crédito bancário.
d) a adoção de programas de construção de obras financiadas pelo Estado para minorar o desemprego.
e) a excessiva oferta de terras e o protecionismo rígido.

 3-NÃO pode ser considerado(a) consequência da crise econômica de 1929:
a) a retração do comércio internacional e da produção industrial, bem como a queda do preço das matérias-primas.
b) o crescimento do desemprego na Alemanha, país cuja economia era baseada na exportação de produtos industrializados.
c). o crescimento econômico da União Soviética baseado na Nova Política Econômica (NEP).
d) a eleição de Franklin Delano Roosevelt para a presidência dos Estados Unidos, com um programa de recuperação econômica.
e) o crescimento eleitoral do Partido Nazista na Alemanha.


4-Em 1929, a Bolsa de Valores de Nova York quebrou.  As ações se desvalorizaram drasticamente; os estoques de cereais se acumularam; os preços dos produtos baixaram.  Fazendeiros faliram.  As grandes indústrias diminuíram fortemente a produção; as médias e pequenas fecharam.  Grandes massas de trabalhadores ficaram desempregadas.  O Estado, essencialmente liberal, não intervinha na produção e o mercado sozinho não controlava a crise.  Para controlar a crise, Franklin Delano Roosevelt, democrata eleito presidente em 1932, lançou um programa de reconstrução nacional, o New Deal, cuja meta era promover reformas profundas na sociedade norte-americana. Baseando-se no texto, responda: Qual a diferença entre o liberalismo econômico clássico e o New Deal?

5- Faça um pequeno parágrafo explicando por que a União Soviética não sentiu os problemas gerados pela Crise de 1929.



                                                      Pois é, os ricos também choram:

   


quarta-feira, 3 de maio de 2017

Crescimento da População Humana.........profª Alcilene Rodrigues

Biologia
13ª aula



O aperfeiçoamento das técnicas de produção de alimentos e o controle de muitas doenças pela medicina, pelo saneamento e pela vacinação propiciaram um aumento na média de vida, uma queda na taxa de mortalidade e um crescimento exponencial da população humana, chamado de explosão demográfica
Embora a maioria dos cientistas concorde que é necessário desacelerar o crescimento populacional de forma e estabilizar a população em um ponto compatível com os recursos do planeta, a superpopulação não pode ser apontada como a única  causa da fome,  da miséria e da degradação ambiental. O uso inadequado do sol  e dos recursos hídricos,  por causa  da ignorância ou da busca de lucro rápido, sem a preocupação com a manutenção do equilíbrio ecológico, a má distribuição de renda e os hábitos de consumo das nações ricas são também questões importantes, que precisam ser resolvidas para que se possa garantir um padrão de vida adequado a todos os habitantes do planeta.
A taxa de fertilidade mundial ( o número médio de filhos que cada mulher tem) vem diminuindo, o que quer dizer que a população humana continua a crescer, mas a um ritmo mais lento. 
Para que essa mudança ocorra e, principalmente, para melhorar o nível de vida de toda a população, algumas medidas devem ser adotadas. Noventa e sete por cento do crescimento populacional acontece hoje nos países mais pobres, com baixos índices de escolaridade e serviços de saúde precários. São necessárias medidas que elevem os padrões de saúde, educação e consumo básico dos habitantes desses países.
A elevação da qualidade de vida contribui para a conscientização da necessidade de um controle voluntário da natalidade, além de criar condições econômicas para realizar esse controle. Informação e assistência médica corretas possibilitarão aos casais o direito de decidir quando terão filhos.



Critique as afirmativas abaixo:
1) Crescimento econômico representa automaticamente melhoria nas condições de vida de uma população.
2) A cultura e a tecnologia não podem influenciar o crescimento populacional humano, fenômeno puramente biológico.










  

sábado, 1 de abril de 2017

Fungos...por profª Alcilene Rodrigues


Biologia

12 ª aula


O ramo da Biologia que estuda os fungos é a Micologia (mycos = fungo). Com as bactérias, eles são importantes decompositores, pois alimentam-se de substancias orgânicas de folhas mortas, de cadáveres e de resíduos, contribuindo para a reciclagem da matéria.
O ser humano descobriu aplicações práticas para os fungos. Alguns são comestíveis e outros são utilizados na fabricação de álcool, bebidas alcoólicas, pães,queijos e antibióticos. Mas várias espécies causam doenças, as micoses. 

1. Estrutura
Os fungos são eucariontes e, em sua maioria, compostos de um emaranhados de filamentos, as hifas, cujo conjunto se chama micélio; existem também algumas formas unicelulares, como o levedo. Nos grupos mais simples, a hifa é formada por uma massa de citoplasma plurinucleada, denominada, denominada hifa cenocítica (ceno = comum). Os fungos mais complexos apresentam septos entre as células.
A parede das células é formada por quitina (polissacarídeo nitrogenado)
A nutrição é sapróbia, ou seja heterotrófica por absorção de molécula orgânicas simples,que podem ser originadas de uma digestão extracorpórea realizada pelo próprio fungo. O glicídio usado como reserva de energia é o glicogênio. Eles podem ser aeróbios ou anaeróbios facultativos, como as leveduras.
Alguns fungos possuem estruturas reprodutoras, os corpos frutíferos ou de frutificação, que correspondem à parte visível acima do solo, chamada de cogumelos . A reprodução assexuada pode ser por brotamento (nas formas unicelulares), por fragmentação do micélio, que origina vários indivíduos, ou pela produção de esporos nos corpos frutíferos. A reprodução sexuada é frequentemente resultado da fusão de duas hifas, designadas como positivas e negativa (prefere-se essa designação pelo fato de não haver diferenças que permitam classificar os fungos em macho e fêmea).

2. Fungos mais comuns
As espécies mais comuns podem ser agrupadas em quatro divisões:
  • zigomicetos - morfo negro do pão e de outros alimentos, alguns são usados comercialmente ara a produção de molho de soja ( o shoyu, da cozinha japonesa) e de medicamentos,   veja na figura abaixo um esquema da reprodução desse fungo;
  • ascomícetos - são caracterizados pela presença do asco (saco), estrutura produtora de esporos,geralmente agrupados em corpos de frutificação. Exemplos: levedo, cuja principal espécie é a Saccharomyces cerevisiae, usada na fabricação de bebidas alcoólicas, álcool e pão; trufa(gênero Tuber), muito apreciada na culinária, Neurospora, o bolor do pão, usado em pesquisa genéticas; algumas espécies de Penicillium, gênero produtor da penicilina e de certos queijos (roquefort e camembert) diversos parasitas de plantas, como o Aspergillus flavus e o Claviceps purpurea, qua atacam cereais. A ingestão do Claviceps provoca o ergotismo, intoxicação que causa alucinações, espasmos nervosos, convulsões, gangrena e morte. Alguns fungos do gênero Aspergillus podem desenvolver-se em produtos agrícolas, como amendoim, milho e nozes, e produzir aflatoxinas, grupo de substancias muito tóxicas, capazes de provocar câncer do fígado.
  • basidiomicetos- nessa divisão estão os fungos mais familiares, conhecidos como cogumelos e orelhas - de - pau. Alguns, como o Agaricus, são cosmetiveis, outros como o Amanit, são venenosos. Algumas espécies atacam os vegetais, como os cereais e o café, causando as ferrugens, doenças que provocam grandes prejuízos à agricultura. O corpo frutifero, chamado de basidiocarpo ( basi = base), tem a forma de chapéu e é encontrado nas espécies mais conhecidas.

  • deuteromicetos - também chamados de fungos imperfeitos, pois não tem reprodução sexuada conhecida, incluem diversos parasitas de animais e vegetais, responsáveis pelas micoses. Na espécie humana, por exemplo, temos o pé-de-atleta e a monilíase ou candidíase na boca (sapinho) e na região genital feminina, causada pela Candida albicans.




Biologia e sua história
Descoberta da Penicilina

Em 1929, o cientista escocês Alexander Fleming (1881-1955), estava cultivando um tipo de bactéria patogênica em placas de vidro quando observou um fenômeno estranho. Uma das placas tinha sido contaminada por um fungo e, ao seu redor, havia uma região clara, na qual nenhuma bactéria crescia. Pensou que talvez o fungo produzisse uma substancia capaz de impedir o crescimento de bactérias.
O fungo era uma espécie de Penicillium, e a substancia produzida  foi chamada de penicilina. Surgia assim o primeiro antibiótico.

Compreendendo o texto
1- Como é o corpo de um fungo?
2- Dê um exemplo de zigomicetos.
3-Cite dois exemplos de ascomicetos.
4- Os fungos são importantes para o homem em todos os processos abaixo,exceto:
 a) fermentação, como na produção de bebidas alcoólicas.
 b) fabricação de antibióticos, como a penicilina.
 c) alimentação, como os cogumelos comestíveis.
 d)decomposição de organismos mortos.
.e) purificação do ar através da fotossíntese.
5- Qual a utilidade do levedo para o ser humano?
6- Cite dois exemplos de basidiomicetos e explique o que é um basidiocarpo.


Atividade em grupo
Formem grupo e escolham um dos temas abaixo para pesquisa:
a) a utilização dos fungos na produção de alimentos.
b) o uso dos fungos na produção de medicamentos.
c) o uso de fungos no combate às pragas.
d) doenças causadas por fungos no ser humano.




                   


quarta-feira, 1 de março de 2017

A era da informação...profª Alcilene Rodrigues

Física
aula 2


O desejo do homem de ordenar e sistematizar o conhecimento, os enormes avanços tecnológicos dos dois últimos séculos e as realizações alcançadas em termos de decifrar, registrar, reproduzir e disseminar a informação fizeram surgir uma expressão designativa de nosso tempo: a era da informação. Ela provocou verdadeira revolução, tendo como consequência o que se pode chamar de explosão do conhecimento. Os progressos no desenvolvimento e na utilização do computador e das informações computadorizadas sugerem medidas quase revolucionarias nesse campo, tal a magnitude do potencial de armazenamento e distribuição das informações.
O conhecimento acumulado adquire novo e vasto significado, á medida que se aprende a pesquisar, armazenar e utilizar a informação. Dessa forma, por um lado, a informação torna-se um novo recurso básico, á disposição de todos e com a vantagem de que não é exaurida nem destruída.
Por outro lado, o controle das informações e o processamento de dados podem vir a ser mais importantes que os recursos materiais e energéticos, como fonte de poder econômico e social. O fácil acesso ás informações pode, também, trazer equilibro entre concorrentes intelectuais tradicionalmente desiguais e, consequentemente, reduzir a importância de uns poucos especialistas que detêm o poder, em virtude de conhecimento até então especializados.
 A era da informação é um fato indiscutível e já envolveu e influenciou a todos nestas ultimas décadas. E o futuro promete um desenvolvimento ainda mais notável nesse campo. É recomendável que cada um aceite e se adapte a essa realidade, procurando, ao mesmo tempo, tirar o melhor proveito e desenvolver-se em sua especialidade.


Informação a serviço da empresa

Toda empresa beneficia se uma informação é transmitida corretamente e no tempo certo. As informações procuram alcançar diversas finalidades:

Acompanhar a realidade do ambiente; 

prever situações futuras não só de mercados, mas também conjunturais;

conhecer as inovações tecnológicas;

 identificar as tendencias do mercado;

oferecer treinamento e estudos de especialização, a fim de desenvolver o nível do pessoal;

facilitar a obtenção e troca de informações; e

obter dados que proporcionam boa tomada de decisão.

São inúmeras as fontes de informação que se encontram á disposição das empresas: livros, manuais jornais, revistas, publicações especializadas, relatórios, noticiários técnicos, análises, estudos de tendencias, monografias, dissertações, papers, conferencias, simpósios, informações pessoais, correspondência, dados estatísticos, índice de produção e outras.

É difícil determinar a quantidade das informações necessárias a uma empresa, por isso, tal fato depende principalmente do tamanho, da estrutura, da área de atuação e dos objetivos da empresa a curto, médio e longo prazos.
merece especial cuidado a seleção das informações, já que tanto a falta, como o excesso de informações poderão dificultar a tomada de decisão. O assunto reveste-se da maior seriedade, porque essa dificuldade pode até mesmo acarretar, em determinado momento, uma decisão errada que trara ao longo do tempo consequências não desejadas pela empresa. Assim, observa-se crescente conscientização da importância da informação para o próprio desenvolvimento da empresa. Em alguns casos, até para sua própria sobrevivência.
Muito embora os serviços realizados pela atividade de informar ainda não estejam bem definidos, podem-se alinhar algumas funções especificas já caracterizadas:
captar informações direta ou indiretamente relacionadas com a empresa;
direcionar para os vários setores da empresa um fluxo constante de informações especificas a cada atividade;

estabelecer critérios de seleção das informações, de modo que as pessoas venham a receber apenas aquelas necessárias a seus objetivos, evitando o manuseio improdutivo de informações que não lhes dizem respeito ou que não sejam de seu interesse imediato; e
manter um sistema prático e atualizado de armazenamento de informações que não lhes dizem respeito ou que não sejam de seu interesse imediato;e

manter um sistema prático e atualizado de armazenamento de informações, que possa vir a ser utilizado a qualquer momento.
Cumpre registra, ainda a importância cada vez maior do computador no processamento automático de dados ou informações. Naturalmente, dependendo do volume e da complexidade das informações, o uso do computador será recomendável a sua viabilidade será evidente, tanto relativamente ao aspecto econômico, como á eficacia que ira proporcionar à empresa.

Exercícios:
1- A integração da tenologia com a construção das sociedades e do espaço geográfico, no momento atual da história, assinala o conceito de:
a) espaço digital
b) espacialidade em rede
c) territórios virtuais
d) meio técnico-científico informacional.

e) espaço físico-virtual
2-O que os jornais chamam de Era da Informação nada mais é que o atestado de óbito da cultura de massa — um estilo de vida que surgiu com Gutenberg, no século XV, e foi a tônica da Revolução Industrial. Até hoje você foi obrigado a assistir ao mesmo filme que o vizinho, ler o mesmo jornal que outros 200 mil assinantes, comer o mesmo molho de tomate industrializado e usar uma calça jeans do mesmo modelo do seu amigo de trabalho. Esse tempo está chegando ao fim”.
BARREIRA, W. Era da informação: Tudo ao mesmo tempo agora. Superinteressante. n. 84, set. 1994.
O texto acima, escrito em 1994, realizava uma previsão acerca dos efeitos da Era da Informação na sociedade atual. Nessa perspectiva, as transformações tecnológicas propiciaram:
a) a concessão total de liberdade ao indivíduo
b) o fim da padronização cultural
c) o aumento da interatividade digital.
d) a desregulação da moda
e) o declínio das transformações técnicas



sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

O estresse............... por profª Alcilene Rodrigues

Biologia e Saúde
11ºaula



Estresse ou stress é o estado de tensão e o conjunto de reações de uma pessoa em resposta a uma situação que ameace o seu bem-estar. São reações provocadas pelos hormônios da supra-renal e pelo sistema nervoso.
Essas reações preparam a pessoa para enfrentar o perigo e é normal experimentar um pouco de estresse no dia-a-dia. Mas, se a situação que provoca o estresse persiste por muito tempo ou se repete constantemente, a pessoa pode se sentir mal, tensa, nervosa e até apresentar problemas físicos.
É claro que sempre que sentimos nossa saúde ameaçada devemos procurar um médico. Mas reservar um tempo para o lazer, praticar exercícios físicos com a orientação de especialistas e conversar com amigos e familiares são atitudes que ajudam a relaxar e evitar as tensões do estresse.
Procure aproveitar seu estudo, por exemplo, sem pensar apenas no resultado da prova e sim nos assuntos novos que está aprendendo.
Pense em quanta coisa você pode fazer em vez de ficar, por, exemplo, vendo televisão: praticar esportes, passear, conversar, ler livros, ir ao cinema ou ao teatro, aprender a tocar a algum instrumento musical, frequentar cursos de pintura, escultura, artesanatos, desenho, etc.
  
                                                                                       

                                                                   Para pesquisar:

Questões 2:
1) Por que é comum ao estresse a dificuldade na concentração e memória?
2) Por que o estresse gera preocupação exagerada com situações triviais?
3) Por que ocorre a queda no rendimento das atividades quando um indivíduo esta com estresse?
4) Por que surge a queda do apetite sexual (até a impotência) quando uma pessoa está estressada?