quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Política Exterior do 1º Período Republicano do Brasil...por profª. Alcilene Rodrigues

História do Brasil 
24ª aula


As questões de limites de fronteiras.


Durante o primeiro período republicano (até 1930),o grande brasileiro que resolveu quase todas as questões de limites, fixando as fronteiras do Brasil, foi o Barão do Rio Branco, chamava-se Jose Maria da Silva Paranhos Junior e era filho do Visconde do Rio Branco, o grande ministro que, em 1871, teve a iniciativa da Lei do Ventre Livre.Entre o Brasil e a Argentina havia, desde o Império, a questão do território de Palmas que os argentinos chamavam a questão das Missões. Considera a nação vizinha como limites dessa região os rios Chopim e Chapecó enquanto que o Brasil admitia o Pepiri- Guaçu e o Santo Antonio.
Durante o governo provisório, pretendeu o ministro das Relações Exteriores, Quintino Boacaiúva, resolver a questão, dividindo entre duas nações o território disputado. Essa solução provocou, porém, vivos protestos do Rio de Janeiro e não teve aprovação do Congresso. Já nessa ocasião o Brasil havia adotado o arbitramento: os Estados em discórdia recorriam à intervenção de um outro, que servia de mediador ou arbitro. Ficou então estabelecido que a questão de Palmas seria submetida ao arbitramento do presidente dos Estados Unidos, Grover Cleveland.. Com a brilhante defesa da causa brasileira, feita pelo Barão do Rio Branco, a sentença do árbitro foi favorável ao Brasil, pois reconhecia como limites da região os rios Pepiri-Guaçu e Santo Antonio.
Com a França houve a questão do Amapá. Desde o período colonial que este país reconhecia como limite da Guiana Francesa o rio Oiapoque que os franceses chamavam Vicente Pinzon. Mais tarde, porém, levantou-se a questão de que esses dois nomes designavam rios diversos, sendo o Vicente de Pinzon aquele que o Brasil chamava Araguari e não o Oiapoque. Assim, estava o Brasil ameaçado de perder parte do território do Amapá.Mas o Barão do Rio Branco, com numerosos documentos e mapas, defendeu os direitos da pátria e alcançou a brilhante vitória com sentença do árbitro, que foi o governo da confederação Suíça.
Para resolver a questão do Acre, o Barão Branco negociou diretamente com o governo boliviano, assinando em  1903, o Tratado de Petrópolis. O Brasil recebia o Acre, como compensação, pagava à Bolívia, dois milhões de libras e construía a Estrada de Ferro Madeira- Mamoré, para facilitar o transporte de mercadorias daquele país pelo vale Amazonas.
Na questão com a Guiana Inglesa, os direitos do Brasil foram defendidos por Joaquim Nabuco. Mas a sentença do rei da Itália, escolhido como árbitro, foi injusta:dividiu o território disputado (região do Pirara), alcançando os ingleses o vale do Amazonas pelos limites, rios Tacutu e Maú.

Outras questões diplomáticas


Ainda no primeiro período republicano, durante o governo de Prudente de Morais, os ingleses ocuparam a ilha da Trindade. Ante as reclamações do governo brasileiro, a Inglaterra propôs que a questão fosse submetida ao arbitramento mas o Brasil recusou energeticamente esse recurso, pois não havia duvidas sobre seus direitos. Contudo, concordou em aceitar um mediador que foi o rei de Portugal, D. Carlos I. Com a opinião desse soberano, favorável à causa brasileira, a Inglaterra renunciou à posse da ilha da Trindade.

O Brasil participou das Confederações Internacionais Americanas, que se reuniam periodicamente, com o objetivo de fortalecer a paz e harmonia entre as nações da América. A terceira dessas conferencias teve por sede o Rio de Janeiro e reuniu-se em 1906, quando era ministro das Relações Exteriores o Barão do Rio Branco. E em Haia, na Holanda, quando houve, em 1907, a Conferencia Internacional da Paz, também o Brasil enviou seu representante, Rui Barbosa, que defendeu a causa dos pequenos Estados.
Outro acontecimento importante da politica exterior do Brasil, no primeiro período republicano, foi a participação do país na Primeira Guerra Mundial, já em 1917. No ano anterior, Rui Barbosa, em Buenos Aires, durante as festas do centenário da Independência da Argentina, fez brilhante conferencia em favor da entrada da América no conflito.
O Brasil foi ainda membro da Liga das Nações, fundada depois da Primeira Guerra Mundial, pelo presidente Wilson, dos Estados Unidos, com o propósito de resolver por meios pacíficos os desentendimentos entre as nações, evitando o perigo de novas guerras.

Exercícios:

1- Como foi a questão do território de Palmas?
2- Que é arbitramento?
3- Como foi a questão do Amapá?
4- Que estabelecia o Tratado de Petrópolis?




                                                                                   
                                                               
                                                                        
                                                                                    
                                   

                                                                                                  
  
                                          


                                         

domingo, 24 de dezembro de 2017

O planeta Terra...por profª Alcilene Rodrigues

Aula de Geografia



A terra pesa 6.588 sextilhões de toneladas.
A população da terra e de aproximadamente 7 bilhões de pessoas. 
A exemplo de outros de outros planetas, a Terra não é uma esfera perfeita. Na região do equador, ele tem um diâmetro de 12.756 km. De polo a polo, o diâmetro é de 12.713 km.
Uma volta ao redor da Terra tem 39.840 km. Num ritmo de jogging ( a 9,5 km/h), uma pessoa levaria 175 dias, correndo sem parar, para dar a volta ao mundo pela linha do equador. Na circunferência de Júpiter, essa mesma tarefa levaria 1.935 dias ou mais de 5 anos.
Qual é a origem do nome Terra? A palavra vem do latim ters, que significa "secar". Era usada, inicialmente, para designar terra firme, em oposição a mare (mar). Como o tempo, passou a se referir ao planeta, como globus terrae. A expressão acabou reduzida a Terra. No caso das línguas não latinas, a palavra vem do grego, eraze (sobre o solo). Daí teremos earth, em ingles, e erde, em alemão, nomes diferentes para a mesma Terra.


Terra superpovoada
O que mais surpreende os especialistas em relação ao crescimento demográfico é a velocidade, especialmente o aumento e o surgimento das cidades, fenômeno recente na história da humanidade. Calcula-se que, há cerca de 2.000 anos, a população global era de cerca de 300 milhões de habitantes. Por longo período a população mundial não cresceu significativamente, com fases de crescimento seguidas por períodos de declínio.
Decorreram mais de 1.600 anos para que a população do mundo dobrasse para 600 milhões. O contingente populacional estimado para o ano de 1750 era de 791 milhões de pessoas, das quais 64% viviam na Ásia, 21% na Europa e 13% na Africa.
Num piscar de olhos, se levarmos em conta o relógio da história do ser humano, este abandonou o modo de vida que criara há cerca de 10 mil anos, com o advento da agricultura, e passou a multiplicar-se nas cidades, um ambiente à parte da natureza.
Em 1900, nove em cada dez homens, mulheres e crianças, que somavam uma população de 1,65 bilhão, ainda viviam no campo. Espera-se que em pouco tempo quase metade dos atuais 7 bilhões de pessoas esteja vivendo em cidades. Dessa população urbana, presume-se que uma proporção de três para vinte pessoas se encontrem nas cerca de meia centena de metrópoles e megalópoles existentes no planeta.
A  China é atualmente o país mais povoado do mundo, com 1,3 bilhão de habitantes. Porém, devido à baixa taxa de natalidade atual, deverá ser superada em 2050 pela Índia, que, a esta altura, atingira o 1,6 bilhão.
Várias são as causas apontadas pelos especialistas para o rápido aumento da população mundial. A principal é a melhoria na qualidade de vida dos países em desenvolvimento.Os índices de mortalidade tiveram uma queda marcante após a Segunda Guerra Mundial. Campanhas de saúde pública e de vacinação reduziram as doenças e os índices de mortalidade infantil.


Pesquise antes de responder:
1-O planeta Terra é o _______________ do Sistema Solar mais próximo do sol, sendo classificado como um planeta ______________. A maior parte de sua superfície é composta por ______________ e sua camada externa é muito fina, recebendo a denominação de ____________________. Essa camada não é contínua, ao contrário do que ocorre em outros planetas, sendo segmentada em várias ___________________.
Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas acima.
a) quarto – rochoso – rochas – atmosfera – placas tectônicas
b) terceiro – comum – rochas – crosta terrestre – formas de relevo
c) quarto – joviano – água – atmosfera – camadas de ar

d) terceiro – rochoso – água – crosta terrestre – placas tectônicas.

2-Assinale a alternativa que indica o movimento da Terra que é realizado de forma inclinada e que completa uma volta ao redor do eixo de sua eclíptica.
a) Precessão.
b) Rotação
c) Translação
d) Nutação







terça-feira, 7 de novembro de 2017

AI- 5 e Anisitia...por Profª Alcilene Rodrigues

Historia e Sociologia

23 aula

AI-5
O Ato Institucional nº 5, ou AI-5, foi editado em 13 de dezembro de 1968 e vigorou até o início de 1979. Ao contrario dos Atos Institucionais que o antecederam, não tinha prazo de vigência: não se tratava de uma medida excepcional transitória.
 O AI-5 conferia ao presidente da República poderes para:

  • fechar provisoriamente o Congresso
  • cassar mandatos
  • suspender direitos políticos
  • demitir ou aposentar servidores públicos
O AI-5 também suspendia a garantia de habeas corpus aos acusados de crimes contra a segurança nacional e de infrações contra a ordem econômica e social e a economia popular. Seu texto integral se encontra no site do Senado.

Anistia 

Em 1979, ainda sob o regime militar, o Brasil assistiu a um importante passo a caminho da abertura politica anunciada no governo do general Ernesto Geisel (1974-1979)e levada adiante no governo do general João Batista Figueiredo (1979-1985), a votação da Lei da Anistia.
A Anistia é o perdão concedido pelo Estado aos condenados por crimes de natureza politica. Desde 1968, diversos setores da sociedade civil se articularam em defesa da anistia aos presos e exilados políticos condenados pela ditadura.
Diante da força adquirida por diversos movimentos dentro e fora do Brasil, em junho de 1979 o governo encaminhou ao Congresso o projeto de Lei de Anistia. Aprovada por 206 votos contra 201, e promulgada em 28 de agosto, a lei beneficiou os cidadãos punidos por atos de exceção desde 9 de abril de 1964, data da edição do AI-5. No 1º de novembro de 1979. voltaram ao Brasil os primeiros brasileiros exilados no exterior pela ditadura militar. 



Monitorando a aprendizagem

1- A canção de Geraldo Vandré foi considerada um hino de protesto contra o regime militar no Brasil. Ela foi apresentada ao publico em um festival de musica em 1968 ( ano do AI-5), no qual tirou o segundo lugar. Identifique os versos que sugerem a necessidade de participação do povo para que haja mudança na sociedade.


domingo, 1 de outubro de 2017

O século das luzes(iluminismo) e as grandes revoluções modernas...por profª Alcilene Rodrigues

História Geral
22 aula

 A maioria das pessoas continuava a viver no campo, a Igreja continuava a defender seus princípios e suas interdições, e as monarquias absolutas sustentavam a ideia de que os homens nasciam desiguais, ou seja, de que a sociedade estava presa a uma estrutura hierárquica rigidamente definida. Já na última década do século, porém, percebeu-se que um novo Renascimento estava começando.. O movimento intelectual que se iniciou então, e desabrochou no século seguinte, foi chamado de Iluminismo, e é considerado pelos estudiosos o primeiro grande passa na construção de uma cultura burguesa.

Burguesia - a origem da palavra remonta ao século XII: burguês era o habitante do burgo, povoação formada em torno de um castelo ou mosteiro fortificado. A burguesia era o conjunto de mercadores e artesões que habitavam as cidades e desfrutavam de direitos especiais dentro da sociedade feudal. A partir do século XVIII, a palavra passou a ser gradualmente empregada para designar os empregadores dos ramos da manufatura, do comércio e das finanças, que se consolidavam como nova classe dominante concomitantemente ao declínio da nobreza.

O século XVIII ficou conhecido na história do pensamento ocidental como aquele que viu prosperar o grande movimento de ideias em favor da liberdade de pensamento e do livre curso de razão humana que foi o Iluminismo. Entre  seus principais idealizadores estão o inglês John Locke (1632-1704) e os franceses Montesquieu (1689-1755), Voltaire (1694-1778) e Jean Jacques Rousseau (1712-1776). Sua mais famosa e sempre citada definição foi dada pelo filosofo alemão Immanuel Kant (1724-1804), ao responder à pergunta: O que é o iluminismo?
O iluminismo é a saída do homem do estado de tutela, pelo qual ele próprio é responsável. O estado de tutela é a incapacidade de utilizar o próprio entendimento sem a condução de outrem.Cada um é responsável por esse estado de tutela quando a causa se refere não a uma insuficiência do entendimento, mas à insuficiência da resolução e da coragem para usa-lo sem ser conduzido por outrem. Sapere aude(expressão latina que significa: tenha a coragem de saber, de aprender).Tenha a coragem de usar seu próprio entendimento. Essa é a divisa do Iluminismo. Immanuel Kant.1784.

O iluminismo estimulava, no plano das ideias, uma cultura centrada na capacidade e na autonomia do individuo e defendia o predomínio da razão sobre a fé. A razão e ciência, e não submissão a dogmas, deveriam ser as bases do entendimento do mundo. A razão era característica do ser humano em contraposição aos animais, a ciência, o desdobramento da capacidade humana de desenvolver a razão. Embora tenha nascido na Inglaterra e na Holanda, o movimento teve sua expressão mais forte na França. E o século XVIII ficou de tal maneira a ele associado que recebeu o nome de Século das Luzes.
A aposta na razão tem suas consequência. Ver o mundo como fruto da ação dos homens é diferente de vê-lo como resultado da vontade de Deus. Uma primeira consequência dessa maneira de ver foi apostar na capacidade de mudar o que era fruto da ação dos próprios homens. As injustiças, os sofrimentos causados pelo fato de uns terem muito e outros pouco, as condições desiguais em que viviam as pessoas, tudo isso poderia ser alterado em nome de uma sociedade mais humana. Se o homem fez, ele mesmo pode modificar: foi essa a ideia que inspirou as duas grandes revoluções politicas do fim do século XVIII, a Revolução Americana de 1776 e a Revolução Francesa de 1789.
A Revolução Americana foi o desfecho da guerra de independência das Treze Colonias inglesas na América do Norte. Em 4 de julho de 1776, seus representantes reuniram-se e votaram a Declaração de Independência dos Estados Unidos da América.Reunidos em novo congresso na Filadélfia, em 1787, os chamados pais fundadores dos Estados Unidos promulgaram a primeira Constituição política escrita dos países do Ocidente.
Os ideais que moveram os lideres da Revolução Americana já eram cultivados na Europa, principalmente na França, onde a monarquia absoluta começara a ser questionada. As criticas se dirigiam ao poder centralizado, à manutenção de privilégios excessivos para a nobreza e o clero, e a exploração dos homens comuns, os plebeus, sem que se pudesse impor ao poder discricionário dos governantes o limite da ação dos governados.
Entre os plebeus, os burgueses, que se dedicavam as atividades do comercio, da troca, do mercado, sentiam-se freados em seus propósitos, limitados em suas ambições. Haviam aprendido com os iluministas que todos os homens eram iguais porque racionais. se eram iguais, nada justificava o fato de não poderem se desenvolver segundo suas capacidades, seu talento e sua disposição. Os ideais iluministas inspiraram,assim, o lema da Revolução Francesa: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.Em 14 de julho de 1789, a prisão da Bastilha, simbolo do poder da nobreza e da monarquia absoluta, foi tomada pelos revolucionários. Mas outro simbolo produzido pela Revolução teve consequências mais profundas: a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, documento que proclamou a igualdade entre todos, pondo um ponto final ao argumento que justificava os privilégios de origem. A sociedade estamental que subsistira durante séculos, da Idade Média à monarquia absoluta, que passou então a ser chamada de Antigo Regime, perdia sua razão de ser. O resultado mais proclamado da Revolução Francesa foi romper com a crença de que, nascidos em uma camada superior, os indivíduos teriam garantia de nela permanece até a morte, ou ao contrario, nascidos em uma camada inferior, estariam para sempre impedidos de ascender a uma posição socialmente mais valorizada.
                                                              


Monitorando a aprendizagem:

1- O iluminismo foi um movimento cultural que difundiu a convicção de que a razão e a ciência deveriam ser a base para a compreensão do mundo. Explique por que a confiança na razão desembocou em revoluções como a Americana e a Francesa.











sexta-feira, 1 de setembro de 2017

A Revolução Industrial... por profª Alcilene Rodrigues

Sociologia e História

20 ª aula


No quadro das grandes revoluções do século XVIII, há ainda uma que não teve caráter politico, mas que, para o historiador inglês Eric Hobsbawn, representou  o mais importante acontecimento da história do mundo desde a agricultura. Trata-se da Revolução Industrial, que ampliou os meios de sobrevivência dos homens e das cidades, e permitiu uma nova forma de sociabilidade.
 Sabe-se que a expressão Revolução Industrial foi aplicada às inovações técnicas que alteraram os métodos de trabalho tradicionais e, a partir das ultimas décadas do século XVIII, propiciaram um grande enriquecimento econômico. Existe também consenso quanto ao fato de que a Inglaterra foi o primeiro país a entrar na era industrial. No entanto, a Revolução Industrial não foi um episódio precisamente datado, com principio, meio e fim. Muitas vezes a industrialização foi um processo lento. A essência da Revolução Industrial, está, na verdade, na ideia de que a mudança é a norma.
A validade desse principio pode ser facilmente percebida até hoje: inventa-se algo, e em pouco tempo uma nova técnica ou um novo instrumento mais eficiente torna o outro obsoleto.

Alem de alterar a maneira de lidar com a técnica, a Revolução Industrial produziu outras mudanças. A fabrica tornou-se um importante local de trabalho, os capitalistas tornaram-se os detentores dos meios de produção (terra, equipamentos, maquinas), o trabalhador, contratado livremente, passou a receber salario, podendo se deslocar de um emprego para outro. A Revolução Industrial alterou profundamente os meios de produzir, estimulou e provocou a competição por mercados internos e externos, além disso fez com que o trabalho humano passasse a ser combinado de forma sistemática às máquinas e inovações tecnológicas. As mudanças permanentes passaram a ser estimuladas, num movimento que aliava a liberdade de pensamentos a apoio politico para a invenção de novos e mais sofisticados instrumentos.


Definição de Capitalismo
Sistema econômico surgido na Europa nos séculos XVI e XVII, o capitalismo recebeu da Revolução Industrial um estimulo fundamental para se desenvolvimento. Suas bases fundamentais são a propriedade privada e a existência de um mercado com transações monetárias. Isso significa, por exemplo, que no sistema capitalista as fábricas,lojas,escolas, hospitais podem pertencer a empresários, e não ao Estado. Além disso, a produção e a distribuição das riquezas são determinadas pelo mercado, o que significa que, em tese, os preços são definidos pelo jogo da oferta e da procura. De maneira geral, podemos resumir o funcionamento desse sistema da seguinte forma: o proprietário da empresa (o capitalista) compra a força de trabalho de terceiros (os proletários) para produzir bens que uma vez comercializados, lhe permitem recuperar o capital investido e obter um excedente (lucro).

Obs: Essa nova mentalidade contribuiu para o desenvolvimento, em meados do século XIX, de um campo de estudos dedicado a compreender o sentido das transformações sociais e a maneira como os indivíduos a elas reagiam. Com essa promessa nasceu a sociologia.



Monitorando a aprendizagem.
1- Dissemos que a Revolução Industrial foi um marco importante na alteração das concepções sobre a vida em sociedade. Explique Explique com suas palavras como ela contribuiu para a formação do mundo moderno.
2- A sociologia é fruto da modernidade e nasceu com objetivo de interpreta-la. Explique.






terça-feira, 1 de agosto de 2017

Relações entre os seres vivos...profª Alcilene Rodrigues

Biologia

15ª aula

O funcionamento de uma comunidade depende das diversas relações ou interações entre os organismos que a compõem. Essas relações podem ser:

1) intra-especificas ou homotípicas- quando ocorrem entre seres da mesma espécie.





2) interespecíficas ou heterotípicas - quando ocorrem entre seres de espécies diferentes.



Em geral todas são classificadas em:
3) positivas ou harmônicas- quando não há prejuízos para nenhuma população nem para os indivíduos associados.

4) negativas ou desarmônicas- quando, pelo menos, um indivíduos ou uma das populações é prejudicada na associação, o que significa que suas chances de sobrevivência ou de sucessos reprodutivo(medido pelo número médio de filhotes)ficam diminuídas.
5)neutralismo- quando duas ou mais espécies, vivendo no mesmo habitat, não são afetadas umas pela outras.














Veja as associações que estudaremos:






Relações harmônicas
(Interações positivas)

Intra-especificas

Sociedade
Colônia


Interespecíficas

Mutualismo
Protocooperação
Comensalismo


Relações desarmônicas
(Interações negativas)

Intra-específicas

Canibalismo
Competição intra-específica


Interespecíficas

Competição intra-específica

Amensalismo
Predatismo

Parasitismo






REFLETINDO E CONCLUINDO:

1- A avoante também conhecida como arribação (Zenaida auriculata noronha), é uma ave migratória que se desloca no Nordeste., acompanhando o ritmo das chuvas, encontrando-se ameaçada de extinção, em decorrência da caça indiscriminada. A relação com o homem é:
a) harmônica, intra-específica e de predação 
b) desarmônica, intra-específica e de comensalismo
c) harmônica, interespecífica e de parasitismo
d) desarmônica, interespecífica e de predação.

2- Nas relações entre os seres vivos, considere os seguintes códigos; (+) quando o desenvolvimento da espécie se torna possível ou é melhorado;(-) quando o desenvolvimento da espécie é reduzido ou se torna impossível; (0) quando as espécies não são afetadas em seu desenvolvimento. A partir desses códigos, a relação entre duas espécies que ocupam o mesmo hábitat e exploram o mesmo nicho ecológico deve ser representada por:
a) ++
b)+ -
c)+ 0
d)- +
e) - -

Recapitulando:






segunda-feira, 3 de julho de 2017

Crescimento das populações na natureza...por profª Alcilene Rodrigues

Biologia

14ª aula




O crescimento exponencial na natureza é observado apenas em circunstancias especiais e por curto período de tempo. Dois exemplos: uma nova espécie invade um novo ambiente onde ela não encontra, de início, nenhum inimigo natural, populações de insetos de climas temperados crescem rapidamente no verão e na primavera, mas morrem com a mesma rapidez na chegada do inverno (muitos ovos sobrevivem até a chegada do próximo verão). 
 Em alguns casos, o número de predadores e o de presas oscilam ao longo do tempo. Quando o número de presas aumenta cresce. Esse aumento provoca crescimento da mortalidade das presas, que diminuem de número. Com isso, por causa da escassez de alimentos, o número de predadores também diminui e volta ao ponto inicial.
O predador não é o único fator que influi nas oscilações periódicas dessas populações. No caso das populações de lebres e linces do Canadá, a queda no número de lebres(presa) deve-se ao número de aumento de linces e à diminuição na qualidade e na quantidade das plantas que lhes servem de alimento, fazendo com que  muitos indivíduos morram. Além disso, com a perda de peso, pela falta de alimento, as lebres ficam mais vulneráveis à predação dos linces.
A ação combinada da falta de alimento e da predação reduz o número de lebres , o que faz a população de linces diminuir e permite que a população de plantas se recupere. O ciclo recomeça com o aumento do número de lebres e de linces.
O crescimento das populações é influenciado também pela ação de parasitas. Quanto maior a densidade de uma população, maior a proximidade entre os indivíduos e mais facilidade o parasita encontra para disseminar-se.

Refletindo e concluindo: 
1) Que fatores provocam uma oscilação periódica na população de presas e seu predador?



Animais de estimação camuflados conseguem se esconder de seus donos dentro de casa.