quarta-feira, 15 de maio de 2013

Émile Durkheim...por profª Alcilene Rodrigues

     Quem é?                 


Émile Durkheim, nasceu em Epinal, França em 15/04/1858 e faleceu em 15/11/1917 em Paris, é considerado, ao lado de Karl Marx e Max Weber, um dos pais da sociologia. Formado em Direito e Economia, tomou a sociedade como objetivo legitimo de estudo com natureza e dinâmica próprias, rompendo com a tendencia então dominante de reduzir os fenômenos sociais a experiências individuais. Durkheim foi influenciado pelo positivismo de Auguste Comte, para quem a vida social era regida por leis e princípios a serem descobertos a partir de métodos associados as ciências físicas e biológicas. Essa influência aparece de maneira muito clara nas metáforas por ele utilizadas para comparar a sociedade a um organismo vivo.
Atento às instituições responsáveis pela ordem, Durkheim estudou a religião como sistema de forças cuja função era criar coesão social. Preocupou-se também com o estudo das relações entre as estruturas sociais e o comportamento individual tema de O suicídio (1857). Conceitos como o fato social e o de anomia mostram seu esforço em compreender a sociedade a partir de suas leis e regras.
Durkheiem foi o primeiro professor de sociologia em uma universidade e influenciou importantes autores, como Marcel Mauss e Louis Dumont. Suas principais obras, além de já citadas são: da Divisão do trabalho social (1893) e As regras do método sociológico (1895) e As reformas elementares da vida religiosa (1912).

Fatos Sociais
"Os fatos sociais são coisas" - com essa afirmação Durkheim apresenta em seu livro As regras do método sociológico um dos seus mais conhecidos conceitos. Mas a que "coisas" esse conceito se refere? A qualquer coisa, própria da sociedade a que pertence um individuo, capaz de exercer algum tipo de coerção sobre ele. Isso significa que o fato social é independente e exterior ao individuo, e é capaz de condicionar ou mesmo determinar suas ações.
São fatos sociais, por exemplo, de regras jurídicas e morais de uma sociedade, seus dogmas religiosos, seu sistema  financeiro e até mesmo seus costumes ou seja, um conjunto de coisas aplicáveis a toda sociedade, independentemente das vontades e ações de cada um. Na medida em que os fatos sociais acabam por moldar o comportamento de cada individuo a partir de um modelo geral, a coerção que eles exercem garante, Durkheim, o funcionamento do todo social.
Os fatos sociais podem, assim, ser definidos por 3 princípios básicos:
  • a coercitividade, ou a força que exercem sobre os indivíduos, obrigando-os, através do constrangimento, a se conformar com as regras, normas e valores sociais vigentes.
  • a exterioridade, ou o fato de serem padrões exteriores aos indivíduos e independentes de sua consciência.
  • a generalidade, ou o fato de serem coletivos e permearem toda a sociedade sobre o qual atuam.
       

Recapitulando
Todos nós sabemos que as sociedades são diferentes uma das outras sob muitos aspectos, Durkheim propôs pensar essas diferenças a partir do conceito de solidariedade, verificando como relação entre os indivíduos e a coletividade se apresenta em diferentes contextos.Nas sociedades simples onde a coesão social e a tal modo intensa que o coletivo (nós) prevalece sobre o individual (eu) Durkheim identifica o que ele chama de solidariedade mecânica. Nos contextos onde o eu tem certa autonomia, e os indivíduos se percebem como diferentes embora continuam o ser dependentes uns do outros, o que se tem é a solidariedade orgânica. Esse é o caso das sociedades industriais. Nelas, os indivíduos diferem muito do ponto de vista do trabalho, da classe social, das escolhas políticas, das religiões, e até mesmo das subculturas. Por essa razão, os valores coletivos e o respeito às normas precisam ser internalizados por eles, para que a sociedade não perca a sua liga. Quando ocorre a situação extrema de um indivíduo (ou um conjunto deles) não mais reconhecer os valores e as normas sociais, tem-se a anomia moral.
A sociedade moderna contribuiu para promover a solidariedade orgânica, mas a lógica do mercado, segundo Durkheim, atentava contra suas bases morais ao priorizar o lucro a tratar com diferenças as necessidades dos trabalhadores. Foi no próprio medo do trabalho que Durkheim buscou uma alternativa para o quadro de anomia. As corporações funcionariam como verdadeiras escolas de valores e regras sociais, mantendo a sociedade coesa.

Exercícios:
1- Leia o texto abaixo:
Chamava-se suicídio todo caso de morte que resulta, direta ou indiretamente, de um ato, positivo ou negativo, executado pela própria vítima e que ela sabia que deveria produzir esse resultado.(...) Mas o fato assim definido interessa ao sociólogo? Émile Durkheim, O suicídio, 1897.
Neste texto, Durkheim indaga se o suicídio é um fato social, pois esse é o objeto que o sociólogo estuda. Com base nas características do fato social responda à questão levantada pelo autor.
2- Com suas palavras, defina a solidariedade mecânica e a solidariedade orgânica.

3-Assimilando conceitos:

Operários, 1933- Tarsila do Amaral, quadro óleo sobre tela 150X205cm
a) descreva a imagem
b) Proponha uma interpretação para o quadro, a partir da explicação que Durkheim construiu para a relação entre individuo e sociedade.

Desempregados esperam por pão e sopa em uma longa fila durante a Grande Depressão, em Nova Iorque, em 1930. 
A foto acima, tirada durante a Grande Depressão, que teve ínicio em 1929, mostra uma fila de desempregados que esperam donativos. Com base na imagem e no que você aprendeu sobre os conceitos de Durkheim, responda: O fenômeno retratado pode ser considerado um fato social? Em caso afirmativo, aponte três princípios básicos que formam o conceito de fato social e comente como a situação retratada se relaciona com eles.





8 comentários:

  1. Respostas
    1. Voce tem que estudar e responder sozinho...eu vou corrigir ok..

      Excluir
  2. Resposta da questão referente a Grande Depressão

    Sim, é um fato social. Os três princípios básicos são a Coercitividade, a Exterioridade e a Generalidade, a seguir a relação de cada um deles com o fato descrito na imagem:

    Coercitividade - O desemprego e a fome obrigam o indivíduo a viver de doações e caridade.
    Exterioridade - O indivíduo, na situação retratada, não pode mudar o fato da crise econômica vivenciada (Grande Depressão)
    Generalidade - A crise, o desemprego e a fome englobam todos os indivíduos, ou seja todos à eles estão sujeitos.

    ResponderExcluir
  3. Muito bem Rodolfo você entendeu o texto...parabéns! Bjs... profª Alcilene

    ResponderExcluir
  4. b) Proponha uma interpretação para o quadro, a partir da explicação que Durkheim construiu para a relação entre individuo e sociedade.

    qual resposta

    ResponderExcluir
  5. Preciso saber: neste capítulo você aprendeu que as inovações tecnológicas nem sempre foram acolhidas de imediato. Ao contrário, muitas vezes elas geraram conflitos de diversas ordens ao serem incorporadas ao dia a dia das pessoas. Veja como isso ocorreu entre os trabalhadores e os capitalistas ingleses.

    ResponderExcluir
  6. Preciso saber: neste capítulo você aprendeu que as inovações tecnológicas nem sempre foram acolhidas de imediato. Ao contrário, muitas vezes elas geraram conflitos de diversas ordens ao serem incorporadas ao dia a dia das pessoas. Veja como isso ocorreu entre os trabalhadores e os capitalistas ingleses.

    ResponderExcluir