sábado, 2 de janeiro de 2016

A Biblioteca de Alexandria...profª Alcilene Rodrigues

 História Geral:
 19 aula : A Biblioteca de Alexandria




A Biblioteca de Alexandria foi durante muitos séculos, mais ou menos de 280 a.C. a 416, uma das maiores e mais importantes bibliotecas do Planeta. Este valoroso centro do conhecimento estava localizado na cidade de Alexandria, ao norte do Egito, a oeste do Rio Nilo, bem nas margens do Mediterrâneo.


Afirma-se que ela foi criada em princípios do século III a.C., em plena vigência do reinado de Ptolomeu II do Egito, logo depois de seu genitor ter se tornado famoso pela construção do Museum – o Templo das Musas -, junto ao qual se localizava a Biblioteca. Sua estruturação, a princípio, é geralmente creditada ao filósofo Demétrio de Falero, então exilado nesta região; muitos afirmam ser dele a concepção deste espaço cultural, depois de convencer o rei a transformar Alexandria em concorrente da glória cultural de Atenas.


Durante sete séculos esta Biblioteca abrigou o maior patrimônio cultural e científico de toda a Antiguidade. Ela não apenas continha um imenso acervo de papiros e livros, mas também incentivava o espírito investigativo de cientistas e literatos, transmitindo à Humanidade uma herança cultural incalculável. Ao que tudo indica, ela conservou em sua estrutura interna mais de 400.000 rolos de papiro, mas esta cifra pode, em alguns momentos, ter atingido o patamar de um milhão de obras. Sua devastação foi realizada gradualmente, até ela ser definitivamente consumida pelo fogo em um incêndio de origem acidental, atribuído aos árabes durante toda a era. 


Destruição da Biblioteca:

Após séculos sendo a referência intelectual do planeta, a Biblioteca de Alexandria entrou em um processo de declínio após a morte de Jesus Cristo e o inicio da era cristã.
Algumas fontes afirmam que o imperador Júlio César, no ano 48 d.C., teria sido responsável pelo primeiro grande incêndio da biblioteca. Entretanto, hoje essa teoria está abandonada, pois sabemos que apenas alguns depósitos de documentos localizados no porto foram queimados durante esse acontecimento.
Em 297, o imperador Diocleciano promoveu o desaparecimento de todos os manuscritos de magia e alquimia do acervo da Biblioteca de Alexandria. Ele receava que os egípcios aprendessem a transformar chumbo em ouro e assim pudesse levantar um exército para combater o Império Romano.

O momento crucial para o destino da biblioteca aconteceu no final do século IV, algum tempo depois de Roma ter se juntado ao Cristianismo. O imperador Teodósio aumentou drasticamente a perseguição aos pagãos, chegando até a emitir um decreto que bania todas as outras religiões.
Atendendo as ordens do imperador, em 391, o patriarca Teófilo reuniu uma multidão de cristãos e juntos destruíram e incendiaram o Templo de Serápis.
Infelizmente, após esse evento, a biblioteca entrou cada vez mais em declínio. No ano de 690, após a invasão dos muçulmanos, Alexandria não apresentava mais sinais de nenhuma grandiosa biblioteca.
 Segundo as palavras do historiador Edward Gibbon:
“Teófilo executou a demolição do Templo de Serápis sem maior dificuldade que o peso e a solidez dos materiais. A valiosa biblioteca foi saqueada e destruída; e cerca de vinte anos depois, a aparência daquelas estantes vazias ainda despertava a fúria e indignação de qualquer espectador cuja mente não estivesse absolutamente obscurecida pelo preconceito religioso.
Conclusão:
Durante muito tempo a Biblioteca de Alexandria foi o sonho de qualquer mente em busca de conhecimento. Matemáticos, filósofos, astrônomos, médicos, alquimistas, dramaturgos, literários, teólogos, historiadores, geógrafos e todas as outras classes de intelectuais, se aglomeravam na cidade contribuindo para a expansão do saber da humanidade.

Infelizmente, o medo dos governantes e dos sacerdotes foi mais forte que ânsia pelo saber. A biblioteca era vista por eles como uma perigosa arma, capaz de abrir os olhos do povo para a dura realidade em que viviam.
O leitor já deve ter ouvido falar em vários artigos sobre a figura do sábio egípcio Hermes Trimegistus. É sabido que a Biblioteca de Alexandria continha cerca de 20.000 papiros herméticos, entre eles alguns escritos por suas próprias mãos.Ninguém sabe dizer com certeza os destinos desses manuscritos. Caso eles não tenham sido vítimas do fogo, é provável que estejam guardados em sociedades secretas.
Um dos objetivos do meu Blog é promover a livre informação. Não podemos mais aceitar que os governantes controlem o conhecimento, nem que ele fique retido em sociedades secretas.
A Biblioteca de Alexandria é um nítido exemplo de como a humanidade seria mais evoluída caso o conhecimento estivesse disponível livremente para toda a população. Não foi a toa que o Império Romano e a Igreja lutaram tanto até conseguir destruí-la completamente.
Questões:
a) Qual a importância da construção da Biblioteca de Alexandria na Antiguidade?
b) Qual a localização geográfica da Biblioteca de Alexandria?
c) Quem foi o grande matemático da Biblioteca de Alexandria?
d) Qual a causa do incêndio na Biblioteca quem o provocou e porque?
e) O que a humanidade perdeu com a destruição da Biblioteca de Alexandria? Explique com suas palavras.
e) Assista ao vídeo para refletir.





Ahhh eu ia juntooo...bjs

Nenhum comentário:

Postar um comentário